1x02: "SQUEEZE" (ASSASSINO IMORTAL)


Um homem de negócios é morto em seu escritório por um assassino que entra pela grade do ar condicionado. Tom Colton, colega de Scully na Academia do FBI, conta a ela sobre o caso: três vítimas encontradas mortas, sem que o assassino tivesse meios aparentes para entrar, e seus fígados arrancados apenas com as mãos.

 

Mulder entra na investigação, apesar do desprezo de Colton por ele, e encontra uma estranha impressão digital alongada na cena do crime, perto da grade de ar condicionado, dizendo que o assassino "vai ser fácil de encontrar, com dedos de 25 centímetros de comprimento". A misteriosa impressão digital combina com outras encontradas na cena de crimes anteriores, com dados que mostram que cinco assassinatos semelhantes vêm ocorrendo a cada 30 anos, a partir de 1903.

 

Mulder dá conta de que o assassino tem mais dois crimes a cometer e, investigando a cena de um caso anterior, os agentes conseguem prender um suspeito, chamado Eugene Tooms, que está saindo de uma tubulação de ar. Encarregado do controle de animais, Tooms declara que estava na tubulação procurando por um animal morto, por causa de reclamações de mau cheiro que estaria saindo dos dutos de ar. Tooms passa por um teste no detector de mentiras, e é libertado antes que Mulder descubra que suas impressões digitais, deformadas com o uso de análise por computador, combinam perfeitamente com aquelas encontradas nas cenas de crimes anteriores.

 

Tooms não demora a matar de novo, escorregando por uma chaminé para cometer o crime. Faltando apenas um assassinato para completar-se o ciclo, Mulder diz: "Se não o pegarmos agora, só teremos outra chance em 2023". Mulder e Scully encontram o detetive que investigou os assassinatos de 1963, o qual informa que sabia que o mesmo criminoso estava envolvido em 1933. Mostra aos dois uma foto de Tooms, tirada três décadas antes, com a mesma aparência de agora.

 

Visitando o prédio condenado onde Tooms tinha morado na década de 60, Mulder e Scully encontram um estranho ninho feito de jornais velhos e bílis humana. Mulder deduz que Tooms é um mutante, que precisa saciar sua necessidade de consumo de fígado humano a cada 30 anos, e que então entra em hibernação. Tooms, que sempre recolhia uma lembrança de cada uma de suas vítimas, está observando tudo lá de cima, e encontra um colar que Scully derrubou.

 

Scully volta para casa, seguida por Tooms. Quando Mulder volta para o esconderijo de Tooms e vê o colar, percebe de repente que Tooms quer transformar Scully em sua próxima vítima, e corre para o apartamento dela. Mulder chega na hora H, e Tooms é capturado depois de uma luta.

 

Em sua cela, Tooms começa a fazer um novo ninho e, quando o guarda lhe entrega a comida através de uma pequenina abertura, ele olha para o buraco e sorri.

 

Bastidores

Como os primeiros dois episódios tinham relação com OVNIs, a Fox queria ver um tipo de história diferente nesta hora e, assim, Assassino Imortal ajudou a estabelecer que Arquivo X poderia abordar outros temas, além de alienígenas, todas as semanas. Embora existam alguns paralelos entre esta história e O Estrangulador da Noite (The Night Strangler), - segundo episódio de Os Demônios da Noite (Night Stalker), que falava de um homem que ressuscitava para cometer múltiplos assassinatos a cada 21 anos - os roteiristas Glen Morgan e James Wong tiraram sua inspiração de Jack o Estripador, e de uma grande tubulação de ar condicionado ao lado do seu escritório. Conforme lembra Morgan, todo o episódio começou a partir de uma simples premissa, quando ele perguntou a Wong: "E se estivermos trabalhando aqui tarde da noite, e um cara entrar através daquela coisa?".

 

Morgan diz que, quando Doug Hutchison veio fazer o teste para o personagem, Morgan achou que ele era jovem demais para ser Tooms, pensando: "Não, este cara não serve. Parece que tem doze anos de idade". Mas o ator os convenceu com sua reação espontânea à confusa ordem do diretor Harry Longstreet para "sair de uma posição neutra e assumir posição de ataque", chocando todo mundo ao fazer uma expressão maldosa e saltar contra o diretor. Demorou para que Longstreet fosse convencido, mas os produtores já haviam tomado sua decisão.

 

Chris Carter diz que sua contribuição limitou-se a sugerir o fígado, porque acabara de regressar da França, onde havia comido bastante patê de fígado (foie gras), e tinha ficado imaginando o que aconteceria se alguém passasse a gostar de fígado humano. Morgan diz que aceitaram a sugestão sobre o fígado porque era "mais engraçado do que qualquer outro órgão".

 

* Doug Hutchison, que interpreta o mutante que só come fígados humanos, na vida real é vegetariano.