1x05: "SHADOWS" (SOMBRAS)


Lauren Kyte lamenta o suicídio de seu chefe, Howard Graves. Mais tarde ela é atacada por dois homens, que são mortos por uma força invisível.

 

Os agentes do governo chamam Mulder e Scully para examinar os cadáveres. Os corpos mostram sinais de carga eletromagnética residual, e parecem ter sido a garganta esmagada, como se isso tivesse sido feito pelo lado de dentro. Mulder sugere que os crimes podem ter origem psicocinética.

 

As fitas magnéticas das câmeras de vídeo do sistema de segurança levam os agentes a Lauren, que não quer falar com eles. Ao sair de casa dela o carro dos agentes começa a funcionar sozinho, disparando pela rua, como se tivesse vontade própria. Mulder sugere que talvez haja um poltergeist envolvido no mistério. "Eles estão a-aqui", diz Scully.

 

Ao seguir Lauren, eles ficam sabendo que Graves tinha uma filha que morrera quando ainda era jovem, e que teria mais ou menos a mesma idade Lauren se estivesse viva. Uma foto ampliada mostra por trás dela uma imagem de Graves, antes invisível. Depois Lauren é despertada pela voz de Graves, quando então vê sangue correndo pelo ralo de sua banheira, indicando que a morte dele foi por assassinato, e não suicídio.

 

Lauren vai falar com Robert Dorland, sócio de Graves, dizendo saber que o chefe foi assassinado. Logo depois duas pessoas entram em sua casa para atacá-la, mas são mortas, do mesmo jeito que as duas anteriores.

 

Outros agentes, que são da CIA, dizem a Mulder e Scully acreditar que a companhia de Graves estava vendendo peças a um grupo extremista do Oriente Médio, do qual dois membros tinham estado envolvidos no ataque inicial contra Lauren. Dorland tinha mandado matar Graves porque temia que o sócio estivesse para revelar a operação às autoridades. Quando os agentes se preparam para interrogar Lauren, Mulder lhes dá um aviso, dizendo: "Meu conselho é que vocês não sejam duros com ela".

 

Os agentes do bureau investigam a empresa, mas não encontram provas, até que Lauren vai falar com Dorland no escritório dele. De repente, ele é empurrado contra a parede, as portas se trancam, os quadros voam em todas as direções, e uma faca dispara contra a parede, abrindo um buraco que revela um disquete de computador com provas dos crimes de Dorland.

 

Lauren muda-se para outra cidade e consegue outro emprego, e quando uma colega é grosseira com ela a xícara de café da mulher começa a tremer. Mas é só um caminhão que está passando... talvez.

 

Bastidores

Segundo Glen Morgan, a Fox vinha insistindo com os produtores para filmarem mais episódios onde, essencialmente, "Mulder e Scully investigam fenômenos paranormais e ajudam as pessoas". Como resultado, a motivação por trás de Sombras, segundo Morgan, era produzir um episódio em que os agentes fazem isso, e que "eles nos deixem em paz", de maneira que os produtores pudessem continuar filmando as histórias mais fora do comum que tinham em mente. Morgan e Wong também gostavam de histórias de fantasmas, de modo que os executivos da Fox sugeriram a idéia de ser produzido um episódio envolvendo poltergeists.

 

A tendência da série por pequenas brincadeiras particulares também é mostrada durante essa hora, quando o nome do diretor assistente Tom Braidwood (bem antes de ele alcançar a fama como o Frohike, um dos Pistoleiros Solitários) é usado na cena em que o manobrista do estacionamento pinta o nome dele na vaga do estacionamento do homem que acabara de ser morto.

 

* No roteiro original, Mulder conta a Scully o que gostaria de colocar no seu epitáfio: "Sem arrependimentos".