1x08: "SPACE" (MISSÃO EM PERIGO)


Em 1977, fotografias tiradas de Marte mostravam o que parecia ser um rosto esculpido sobre a superfície do planeta, ponto de partida para este episódio.

 

O tenente-coronel Belt, que agora é supervisor do programa do ônibus espacial, esteve naquela missão e vive recordando um passeio no espaço em que via aquele rosto olhando para ele.

 

Enquanto isso, Mulder e Scully são procurados por Michelle Generoo, comandante de comunicações do Controle de Missões da NASA, que informa que um recente lançamento foi abortado segundos antes da partida dos foguetes, acrescentando achar que uma peça do equipamento fora sabotada. Ela deseja que os agentes ajudem a resolver o caso antes que seu noivo parta para o espaço na próxima missão.

 

Belt lhes diz que não há nada com que se preocupar, e o ônibus espacial é lançado sem incidentes. No entanto, não demora para que haja uma interrupção nas comunicações com a nave, e Michelle Generoo bate o carro quando o estranho rosto parece aproximar-se dela no meio da neblina.

 

Embora o ônibus espacial esteja avariado, Belt ordena aos astronautas que coloquem sua carga em órbita, temendo a perda de vários milhões de dólares - e outros grandes prejuízos ao programa espacial - se a missão não for cumprida. Mulder está desiludido, mas Belt lhe diz que as coisas são diferentes - que "só se consegue chegar às manchetes dos jornais quando alguma coisa não dá certo".

 

Sozinho, Belt tem outra lembrança do passado, gritando quando a presença astral escapa de seu corpo, subindo na direção do céu. O ônibus espacial recebe uma pancada surda, e passa a ter vazamento de oxigênio - o mesmo problema ocorrido na missão de Belt anos antes. "Há algum tipo de fantasma do lado de fora da nave!" - os astronautas informam ao centro de controle de Houston.

 

Os agentes examinam os registros e descobrem que Belt sabia dos defeitos do equipamento e talvez até do problema com o anel de vedação que resultou na explosão do ônibus espacial Challenger. Belt desmaia, dizendo que a força astral "vivia dentro de mim", e o controlava. Por ordem dele, a trajetória do ônibus espacial é alterada, evitando que a nave se incendeie na sua reentrada na atmosfera. Lutando com a presença da força astral, o próprio Belt dá um salto e cai morto.

 

Fã de Belt desde os velhos tempos, Mulder elogia o sacrifício dele. "Alguma coisa o possuiu. Alguma coisa que ele viu, lá fora, no espaço" - aparentemente alguma coisa que não queria companhia.

 

Bastidores

Chris Carter não ficou inteiramente satisfeito com este episódio, que foi estruturado ao redor da famosa foto do "rosto de Marte". O produtor lembra-se de estar deitado no seu quarto de hotel em Vancouver, pensando: "Não seria estranho se aquele rosto viesse a se aproximar de mim?" - e a mesma imagem foi copiada para a cena do coronel Belt.

 

Certos problemas de caráter logístico contribuíram para a frustração de Carter com este episódio, entre os quais o fato de ter sido impossível mostrar os assustados astronautas no ônibus espacial, tornando necessário tratar dessa ação com tomadas fora da tela. "Não é possível fazer uma cena dessas com o orçamento que a televisão destina para oito dias de filmagem", admite ele.

 

Em parte, o episódio Missão em Perigo foi projetado para ser uma hora muito barata - depois que a série tinha excedido o orçamento em alguns episódios anteriores -, usando filmes originais da NASA que podiam ser comprados a um custo relativamente baixo. No entanto, a construção do cenário de uma grande sala de controle acabou tornando este o mais caro episódio de todo o primeiro ano de produção.

 

Carter admite que ficou um tanto sobrecarregado durante as filmagens do episódio, no mês de setembro, quando a série estava estreando e as primeiras críticas já começavam a chegar de todos os lados. "Tudo estava acontecendo ao mesmo tempo", ele diz. "Na época estávamos apenas tentando fazer este balão levantar vôo".