1x11: "FIRE" (O INCENDIÁRIO)


Mulder recebe a visita de uma antiga paixão dos seus dias de Oxford, chamada Phoebe Green, que está tentando proteger um lorde britânico de férias em Massachusetts. Alguém já matou vários membros do Parlamento, sempre ateando fogo às vítimas. Mulder, que admite ter medo do fogo por causa de um incidente ocorrido em sua juventude, fica imaginando se o caso não envolveria um pirocinético - alguém que pode controlar e conduzir o fogo.

 

Antecipando a chegada de Sir Malcolm, o assassino mata o zelador do hotel e toma seu lugar. Indo a um bar local ele ateia fogo ao próprio braço e incendeia o lugar. Mais tarde ele envenena o motorista da família, para poder dirigir o carro levando-a a um jantar em Boston.

 

Enquanto isso, Scully desenha um perfil do assassino, afirmando que ele pode ter "tendência a fantasias excessivas sobre mulheres", e Mulder e Phoebe começam a reacender seu romance. Scully corre para o hotel onde o jantar está sendo realizado e os encontra juntos, notando então que está em chamas o andar de cima, onde os filhos de Sir Malcolm estão descansando. Conquistando a confiança da família, o zelador ajuda a salvar os filhos.

 

Scully fica sabendo que um inglês chamado Cecil L'ively, que já trabalhara para duas das vítimas anteriores, acaba de chegar aos Estados Unidos. Então ela recebe um desenho do sujeito que pôs fogo no bar, e é o zelador do hotel.

 

Mulder descobre o motorista assassinado na casa de Cape Cod, e a casa também começa a pegar fogo. Mulder salva as crianças, enquanto Scully enfrenta o assassino, que explode em chamas e cai, rindo como louco depois que Phoebe joga combustível sobre ele para acelerar o fogo.

 

Por meio da narração, Scully diz que L'ively sofreu queimaduras de quinto e sexto graus em todo o corpo, mas está sarando rapidamente e deverá estar recuperado por completo dentro de um mês, deixando as autoridades na dúvida quanto ao modo de encarcerá-lo. Quando a enfermeira pergunta se o suspeito precisa de alguma coisa, ele responde: "Estou morrendo de vontade de um cigarro".

 

Bastidores

Carter já tinha sido advertido sobre os custos e as dificuldades que podem surgir ao trabalhar com fogo, embora o único problema tenha sido uma cena onde Duchovny na verdade sofreu uma queimadura severa o bastante para deixar uma cicatriz em sua mão.

 

A personagem Phoebe Green - desempenhada por Amanda Pays, que participou dos filmes The Flash e Max Headroom - foi considerada como papel possivelmente fixo, devido à admiração de Carter pela atriz e seu amor por Sherlock Holmes. Carter declarou-se interessado pela idéia de incorporar um detetive da Scotland Yard à série. Mas a química "não funcionou muito bem", disse ele, embora Phoebe tenha atingido o efeito desejado de tornar-se uma personagem que, como ele diz, "os fãs da Internet adoraram odiar".

 

O roteiro original compreendia um intercâmbio de falas onde Scully observa: "Bem, que ninguém diga que você não caminharia sobre brasas por uma mulher, Mulder", ao que ele responde: "E que ninguém dia que eu não faria isso por você de novo, Scully".

 

* A famosa cena da "cueca de seda preta" originalmente era para ser uma simples "cueca de malha".

 

* O lorde britânico Malcolm Marsden recebeu esse nome por causa do cabeleireiro-chefe da série.