1x15: "YOUNG AT HEART" (O HOMEM QUE NÃO QUERIA MORRER)


Mulder é chamado por seu ex-parceiro, o agente Reggie Purdue, para visitar a cena do assalto a uma joalheria. Um bilhete foi deixado no local, dizendo "A raposa (fox, em inglês) não pode guardar o galinheiro" - cartão de visita de John Barnett, que Mulder havia ajudado a condenar, anos antes.

 

Os registros mostram que Barnett morrera na prisão quatro anos antes, mas as análises técnicas provam haver 95 por cento de probabilidade de ser sua a letra do bilhete. Barnett havia jurado vingança contra Mulder, durante seu julgamento, e Mulder encontra um bilhete em seu carro que diz: "Uma raposa (fox) caçada acaba morrendo". Quando Barnett telefona, Mulder tem certeza de que é ele mesmo e liga para Purdue, que é estrangulado quando está ao telefone. Na cena do crime é deixado um bilhete que diz: "Primeiro o enterro dos amigos de Fox - depois, o de Fox".

 

Investigações mais detalhadas mostram que o dr. Ridley, que havia declarado Barnett morto, tinha tido sua licença médica suspensa por erros médicos durante uma pesquisa. Ridley estava fazendo experiências com a possibilidade de reversão no processo de envelhecimento, o que significa que Barnett talvez parecesse mais novo do que de fato era. Ridley aparece à porta de Scully, dizendo que Barnett é o último paciente vivo que passou por suas experiências, quando sua mão foi serrada e outra cresceu no lugar, através do uso de células de salamandra. Às portas da morte por causa de suas próprias experiências, Ridley também diz a Scully que tinha sido o governo que havia financiado seu trabalho.

 

Encontrando-se com Garganta Profunda, Mulder fica sabendo que o governo está negociando com Barnett para obter os documentos roubados das pesquisas de Ridley. Barnett telefona para dizer a Mulder que vai matar seus amigos, um por um.

 

Scully descobre as impressões digitais de Barnett em sua secretária eletrônica e, pelos recados gravados, o bandido descobre que ela ia a um recital de música clássica. Os agentes escondem-se à espera dele no local, e quando Barnett atira em Scully (que sobrevive graças a seu colete à prova de balas), Mulder o persegue na direção do salão, onde ele faz um refém. Mulder - que havia evitado atirar em Barnett quando o prendera pela primeira vez, acabando por provocar a morte de outro agente - atira e mata o criminoso. As autoridades fazem de tudo para salvá-lo, esperando descobrir onde estão os documentos das pesquisas.

 

Mulder ri da ironia de terem ficado escondidos bem ao alcance das mãos os meios que podem salvar muitas vidas, enquanto a câmera passeia por um indefinido armário de bagagem em um aeroporto qualquer. E também resmunga temer que os agentes "ainda não tenham visto o fim de John Barnett".

 

Bastidores

Carter teve outra disputa com o Departamento de Padrões e Práticas da Fox, desta vez a respeito da cena em que o agente Purdue é estrangulado pela mão de salamandra de Barnett. O produtor admite ter perdido a briga, em que a Fox - dizendo-se preocupada com a questão da violência - argumentava não apreciar a idéia de ver aquela cena de assassinato estender-se muito. Assim, Carter tornou a seqüência bem mais curta.

 

* John Barnett foi o primeiro caso de Mulder junto da Seção de Crimes Violentos.

* Este foi o primeiro episódio em que Mulder mata alguém.