2x12: "AUBREY"


B. J. Morrow está tendo um caso com o chefe, o tenente Tillman, e diz a ele que está grávida. Inexplicavelmente ela se vê mais tarde em um campo, desenterrando o cadáver de um agente do FBI que estava desaparecido desde 1942.


Antes de seu desaparecimento, o agente Sam Chaney estava investigando um assassino em série que recortava a palavra "sister" ("irmã") no peito de suas vítimas e fazia desenhos na parede usando o sangue delas. O assassino nunca foi descoberto.

 

Falando com Scully, B. J. admite que está grávida e que vem tendo estranhos pesadelos. Ela não sabe como encontrou o cadáver. Scully descobre que a palavra "brother" ("irmão") está gravada nas costelas do esqueleto. Tillman lhes diz que houve um recente homicídio, com o mesmo modus operandi, e outro cadáver aparece com a palavra "sister" gravada no peito.

 

Examinando arquivos de fotos de suspeitos, B. J. aponta Harry Cokely, que fora condenado por estuprar uma mulher e gravar a palavra "sister" no corpo dela. Mas, quando Mulder e Scully visitam Cokely, ele está muito fraco - um velho de 77 anos de idade que respira através de uma máquina. "Não posso sair daqui sem esta maldita máquina", rosna ele, quando lhe perguntam onde haviam estado. "Só fico sentado aqui, na frente da TV, 24 horas por dia".

 

B. J. desperta com uma visão, ensopada de sangue e com a palavra "sister" gravada em seu peito. Ela diz ter visto Cokely em seu pesadelo, e corre para uma casa, arrancando as tábuas do assoalho para revelar os ossos do desaparecido parceiro de Chaney. É a casa onde Cokely morava, 50 anos antes.

 

Mulder e Scully visitam a mulher que Cokely havia estuprado, e ela admite ter tido um filho depois do incidente, e que a criança tinha sido dada para adoção. Mulder acha que o descendente de Cokely é o responsável - e que a memória genética do assassino teria sido passada adiante. "As características genéticas muitas vezes saltam sobre gerações", observa ele. Os agentes descobrem que B. J. é neta de Cokely.

 

Mulder teme que B. J. tente terminar o que Cokely havia começado, e ela de fato vai procurar pela avó. "Alguém tem de assumir a culpa, irmãzinha", ela rosna. Mas, ao ver a palavra "sister" gravada no corpo da mulher, ela fica perturbada e decide ir atrás de Cokely. Mulder encontra o velhinho todo cortado e é surpreendido por B. J., que encosta uma navalha em sua garganta, deixando a arma cair no momento em que Cokely morre.

 

Scully levanta a hipótese de que a gravidez de B. J. deve ter funcionado "como elemento catalisador para sua transformação". Ela é mantida em uma célula psiquiátrica e observada durante as 24 horas do dia para não cometer suicídio, depois de tentar abortar a criança. Nasce um menino, que Tillman tenta adotar.


Bastidores


Aubrey acabou sendo um verdadeiro trabalho de equipe dos roteiristas da série, com Sara Charno partindo das idéias de assassinatos cometidos 50 anos antes e de transferência de memória genética, combinando finalmente essas idéias com outra em que já havia pensado, sobre uma mulher que comete múltiplos assassinatos. Certas mudanças ainda estavam sendo feitas pouco antes das filmagens, como a cena da quarta parte, em que Mulder é atacado por B. J., que, ao olhar para ele, na tomada revisada, vê o rosto do agente do FBI assassinado décadas antes.

 

Os produtores Glen Morgan e James Wong - que deram diversas contribuições ao roteiro - sugeriram a colocação de Morgan Woodward no papel de Cokely, tendo-se lembrado do veterano ator por um desempenho em um episódio de Anjos da Lei que eles haviam escrito quando tinham produzido aquela série. Woodward também participou de Star Trek - A Série Clássica e O Mercenário das Galáxias (Battle Beyond the Stars), e fez inúmeros papéis de homem mau na TV e em filmes do tipo western. Também vale dizer que o ator convidado Terry O'Quinn fez o papel de um assassino na série The Stepfather, além de ser Peter Watts na série Millennium.

 

Apesar da linha macabra da narrativa, existem alguns diálogos divertidos entre os astros principais, que permitiram a Scully mostrar suas qualidades em dar boas respostas. Por exemplo, quando Mulder a acusa de se engajar em um "palpite bastante extremo", Scully reage rapidamente dizendo: "Eu me lembro de você tendo alguns palpites bastante extremos".

 

* Os ossos e crânios usados aqui e em Nossa Cidade não são reais, são feitos de plástico e foram envelhecidos com tinta e agentes químicos. As marcas de plástico foram retiradas. Ossos verdadeiros não só custariam muito mais caro como dariam calafrios ao elenco de Arquivo X.