2x14: "DIE HAND DIE VERLETZT" (OS ADORADORES DAS TREVAS)


A Comissão local de Pais e Mestres reúne-se para debater os temas corriqueiros. Antes de a reunião ser encerrada, no entanto, os membros da comissão acendem uma vela e oram em uníssono... para o Senhor das Trevas, cantando "Die Hand Die Verletzt" (a legenda mostra a tradução para o inglês: "É dele a mão que fere").


Quatro adolescentes aventuram-se floresta adentro, com os meninos tentando assustar as meninas pela leitura de uma oração à Satanás. De repente, aparecem ratos aos seus pés e, quando tentam fugir, um dos meninos é seguro pela garganta. Seu corpo é encontrado mais tarde, com os olhos e o coração arrancados.

 

Um policial local conta a Mulder e Scully sobre os rumores a respeito da adoração à Satanás e dos rituais macabros que ocorrem na cidade, e que Scully acha ser apenas uma manifestação folclórica - até que começam a chover sapos. Uma professora substituta, a sra. Paddock, aparece na escola e, enquanto os agentes interrogam os estudantes envolvidos no episódio, a Comissão de Pais e Mestres volta a se reunir, com um dos membros, chamado Calcagni, afirmando que "alguma coisa está aqui... uma presença" que é responsável pela morte. Eles dizem aos agentes que os ocultistas estão por detrás do que aconteceu e, quando a água começa a descer pelo ralo de um bebedouro girando no sentido anti-horário - o que deveria ser impossível no Hemisfério Norte, eles nos informam - Mulder conclui que ali também tem coisa. Enquanto isso a sra. Paddock abre sua gaveta, revelando o coração e os olhos do menino assassinado.

 

Ao dissecar o embrião de um porco, Shannon, filha de um dos líderes da CPM, vê o coração do animal batendo e grita, lembrando-se de imagens de rituais satânicos e abusos que sofreu. Quando ela volta para a classe para terminar o trabalho, a sra. Paddock concentra-se na garota, cujos olhos ficam vidrados quando Shannon ergue o bisturi, cortando os próprios punhos. Mulder sente o cheiro de incenso na sala da sra. Paddock, incenso de um tipo usado em rituais de Missa Negra.

 

Calcagni diz que a morte de Shannon foi um sinal da presença do mal. "Temos de reacender nossa fé", ele diz ao grupo, acrescentando que a morte da garota deve ser usada para se livrarem do FBI. Jim Ausbury, padrasto da garota, admite a Mulder que eles vêm adorando as forças das trevas, usando o sangue de crianças nas cerimônias e a sugestão pós-hipnótica para que as lembranças sejam reprimidas até que as vítimas alcancem a idade adulta.

 

Ele também diz que estão negligenciando em relação a alguns dos rituais, e que "saltaram por cima" daqueles que não queriam praticar. "E vocês acham mesmo que podiam invocar o Diabo e depois pedir a ele que se comporte?", pergunta Mulder.

 

Recebendo um chamado de Scully que acaba sendo falso, Mulder algema Ausbury no porão, onde ele é devorado por uma cobra gigantesca, enquanto a sra. Paddock é mostrada lambendo os lábios, com olhos de serpente. Eles voltam para encontrar apenas ossos quebrados, e lembram-se da cobra vista no quarto da sra. Paddock.

 

Calcagni diz aos outros que eles precisam matar os agentes ou terão o mesmo destino de Ausbury, "se já não for tarde demais". Eles surpreendem Scully e Mulder e preparam-se para sacrificá-los, mas a sra. Paddock passa a controlar Calcagni, que atira em seus companheiros antes de virar o cano da garrucha contra si mesmo. "Já é tarde demais", diz a sra. Paddock, com um sorriso maldoso.

 

Quando as luzes se acendem de novo, os agentes encontram uma mensagem no quadro negro: "Adeus. Foi bom trabalhar com vocês".

 

Bastidores


Uma das histórias mais assombrosas da série, Os Adoradores das Trevas foi o último episódio escrito por Glen Morgan e James Wong na época, que deixaram a equipe para dedicar seu tempo ao desenvolvimento e produção de um novo programa para a Fox, chamado Comando Espacial (Space: Above and Beyond). Eles também deixaram no quadro negro a frase atribuída à sra. Paddock, "Foi bom trabalhar com vocês", mas para um propósito mais sentimental - como despedida ao elenco e à equipe técnica de Arquivo X.

 

Uma vez mais, parte do roteiro nasceu do prazer de Morgan e Wong pela construção de episódios inteiros ao redor de cenas visuais individuais. Em determinado momento, Morgan disse, entusiasmado: "Precisamos de um episódio em que uma cobra come uma pessoa". Anfíbios também figuram de modo proeminente na seqüência em que os sapos caem do céu, com os sapos verdadeiros - derrubados de apenas algumas dezenas de centímetros de altura para que não se machucassem - sendo finalmente substituídos por sapos de mentira, que acabaram sendo pesados demais ao bater nos guarda-chuvas.

 

Sendo o episódio levado ao ar na véspera da 29a. edição do Super Bowl, jogo decisivo do campeonato nacional de futebol americano, os produtores - sofridos fãs da equipe dos San Diego Chargers - também se divertiram com uma brincadeira pessoal nos créditos de abertura, onde os roteiristas são apresentados como James "Chargers" Wong e Glen "Bolts, Baby" Morgan. Embora os Chargers tivessem sido derrotados dois dias depois pelos San Francisco 49ers, Morgan insiste em que não é suficientemente supersticioso para acreditar que os créditos de abertura tivessem tido alguma coisa a ver com o azar da equipe esportiva.

 

* Os nomes dos personagens "Paul Vitares" e "Deborah Brown" são uma homenagem a dois importantes eXcers.