4x02: "UNRUHE" (INQUIETAÇÃO)


Norte de Michigan: uma jovem mulher é seqüestrada e seu namorado, assassinado. A fotografia de seu passaporte não mostra mais seu rosto sorridente. Ao invés disso, exibe seu rosto aterrorizado.

 

As fotografias fascinam Mulder, mas Scully tenta achar uma explicação lógica: a fotografia foi inserida no filme ou o filme está danificado. Mas para Mulder elas são um exemplo de "fotografia psíquica": a habilidade paranormal de criar imagens no filme com a própria mente. Mulder teoriza que o suspeito nem mesmo saiba que possua esse dom... e que as fotografias revelam as fantasias mais sombrias do assassino.

 

A jovem raptada é encontrada viva, mas quase com morte cerebral. O seqüestrador fez nela uma primitiva e mal executada lobotomia, com um furador de gelo dentro de seus olhos. Ela repete incessamente a palavra "unruhe", a palavra alemã para dificuldade. Rapidamente, o seqüestrador a leva novamente e a mata.

 

Scully percebe que a mesma companhia de construção teve trabalhos próximos as cenas dos crimes. Enquanto Mulder está em Washington examinando as fotografias no laboratório do FBI, Scully continua com suas investigações. Ela percebe que Gerry Schnauz é o seqüestrador quando ele fica aterrorizado ao ouvir a palavra "unruhe". Ela o prende.

 

Schnauz é um paranóico esquizofrênico que possui um histórico violento. Ele fica aterrorizado ao ver as fotografias de suas vítimas, e é surpreendido ao ver suas ilusões paranóicas nas fotos. Ele admite o crime, e conta onde achar a outra vítima. Ela também foi lobotomizada.

 

Schnauz mata um guarda e foge da prisão. Ele volta à cena do primeiro crime para buscar a máquina fotográfica e o filme. O sangue de Mulder corre frio quando ele vê fotografias da próxima vítima: Scully! Agora, Mulder precisa estudar as fotografias para entrar na mente de Schnauz.

 

Em cativeiro, Scully usa tudo o que sabe de Schnauz para se manter viva. Em pouco tempo ele usará nela o furador de gelo para libertá-la do "unruhe", que ele acredita atormentá-la.

 

A perspicácia de Mulder na mente de Schnauz o conduz até seu escritório. Com pouco tempo para decisão ele atira no seqüestrador. E acha uma última série de fotos psíquicas: Schnauz morto no chão com um tiro.

 

Bastidores

Em um interessante aspecto, este episódio assinala uma mudança para Arquivo X: foi o primeiro episódio, um dos vários da 4a. temporada, que foi apresentado fora da ordem da agenda de produção da série. Este foi o segundo episódio filmado e o quarto a ser levado ao ar (nos EUA), parte de um complicado troca-troca destinado a colocar os melhores episódios nos horários onde é mais provável a conquista de bons índices de audiência.

 

- Desde o começo do ano nós sabíamos que iríamos mudar a apresentação da série das noites de sextas-feiras para os domingos, mas foi só depois de termos começado as filmagens que ficamos sabendo que a mudança seria feita na quarta semana da nova temporada - explica o co-produtor Frank Spotnitz. - Queríamos escolher um episódio que tinha sido particularmente bem sucedido como roteiro, e que bem representasse a série. E decidimos que Inquietação seria melhor do que Teliko para essa finalidade.

 

A semente para o episódio em si foi plantada há vários anos. Quando ainda jovem, Vince Gilligan - cujas obsessões da infância, semelhantes a muitas já vistas no Arquivo X, já lhe renderam excelentes roteiros - mandou pedir pelo reembolso postal um livro do grupo da Time-Life, com crônicas sobre a vida de muitos assassinos seriais e em massa.

- Eu me lembro de um capítulo inteiro do livro dedicado a um homem chamado Howard Unruh, o primeiro assassino em massa dos tempos modernos - diz o roteirista e co-produtor. - No final da década de 40, esse cara decidiu dar uma caminhada pelo bairro onde morava, em uma cidade de Nova Jersey, levando uma pistola Luger que havia trazido da guerra. E atirou, se não me engano, em um total de 13 pessoas em apenas 12 minutos. As autoridades conseguiram detê-lo usando uma rede. Mas o interessante da história era que o livro mencionava que "unruhe" significa "inquietação" em alemão. E eu pensei: "Puxa! Não daria para inventar isso, daria?".

O jovem Gilligan também ficou fascinado com várias outras histórias da revista Life sobre Ted Serios, o "fotógrafo mental" que Mulder menciona neste episódio. A decisão de relacionar o assassino com a profissão de dentista era mais ou menos óbvia, considerando o pavor que muita gente tem de dentista. O próprio roteirista afirma não ter medo da broca do dentista. Mas o dr. Michael Kilbourne, que é seu dentista, recebeu-o para o seu exame preventivo semi-anual colocando uma nova placa de propaganda de "sono do crepúsculo" na sala de espera de seu consultório.

A escolha de Pruitt Taylor Vince foi fácil. Ator bastante conhecido, que recentemente vinha procurando deixar de lado os papéis de assassinos patéticos e desajustados que fez em filmes como Heavy e Beautiful Girls, Vince fora convidado para atuar na 1a. temporada de Arquivo X, mas não havia aceito o papel que lhe ofereceram, por considerar sua participação pequena demais.

- A primeira vez que o vi em filme foi em Jacob's Ladder (Alucinações do Passado) - diz Gilligan - e ele se destacou, embora o papel fosse bastante pequeno. Escrevi o personagem de Inquietação com ele em mente, e quando o departamento de elenco entrou em contato com Vince, foi uma sorte estar disponível e ter aceito o papel.

Os suportes de metal que Schnauz usa para as pernas neste episódio são bastante perigosos. Quando Gilligan, assumindo total responsabilidade pelos suportes que colocou no enredo do episódio, resolveu ele mesmo tentar usá-los em um estacionamento de Vancouver, pediu para "um monte de maquinistas" ficar perto dele para segurá-lo caso não conseguisse se equilibrar. A maior parte das cenas em que Schnauz aparece andando com os suportes foi feita por dublês profissionais. Em outras cenas, Vince foi mantido em pé por meio de um cabo de segurança preso ao teto. O cabo foi depois apagado da imagem na fase de pós-produção, pelo departamento de efeitos visuais.

Os instantâneos Polaroid que representam os terríveis pensamentos de Schnauz foram feitos pelo departamento de contra-regra. As cópias e as fotos efetivamente usadas no episódio, especialmente aquelas que mostram Gillian Anderson, foram expostas depois com destaque no caminhão da contra-regra que segue a equipe nas filmagens em locações. A marca "ETAP", que aparece na câmera instantânea usada pelo farmacêutico, assim como a marca comercial que aparece na maior parte dos equipamentos utilizados na série, é o nome do diretor assistente de contra-regra, Jim Pate, soletrado ao contrário.

O afiado instrumento de lobotomia ou leucotomia utilizado neste episódio foi construído a partir de um pedaço de ferro pelo diretor de contra-regra Ken Hawryliw, baseado em sua própria imaginação. - Telefonamos para diversos médicos e hospitais de tratamento de doentes mentais - diz ele - mas ninguém quis nos emprestar um instrumento desses e nem ao menos dizer qual a sua aparência. Acho que eles não têm muito orgulho da idéia toda que existe por trás da lobotomia.

Os fãs realmente observadores devem notar que Gillian Anderson, ao interpretar a cena em que é mantida presa à cadeira de dentista de Schnauz, recupera-se depressa demais do sono induzido pela droga que lhe foi aplicada.

- Na primeira vez eu fiz a cena perdendo a consciência e tornando a recuperá-la, ao mesmo tempo em que lutava para que ele me soltasse - explica Anderson. - Na verdade eu gostei da cena, mas gravamos outra vez porque Chris achava que o efeito da droga deveria passar mais rapidamente, para que Scully percebesse logo o perigo em que se encontrava.

Apesar disso, ela acha que as cenas que filmou com Vince, que declara respeitar muito como pessoa e como ator, foram todas bem sucedidas, e que o trabalho de ambos foi surpreendentemente intenso. A prova disso, acrescenta ela, apareceu mais tarde, quando fomos todos ao cinema assistir Heavy, em que Vince interpreta um doce e amável pizzaiolo.

- Foi difícil abandonar a idéia de que ele é uma pessoa malvada - diz Anderson. - Toda vez que via sua imagem na tela, eu tinha a sensação de que atacaria alguém com uma picareta a qualquer momento.

* Neste episódio Gillian Anderson gostou mais da cena em que Scully, ao falar pelo telefone celular com Mulder, olha para Schnauz sobre os apoios metálicos para as pernas, e imediatamente percebe que ele é o assassino.

- Adorei a idéia - diz ela.