4x05: "THE FIELD WHERE I DIED" (O CAMPO ONDE EU MORRI)


Apison, Tennessee: um dia foi o local de uma batalha de guerra civil, mas agora é o Templo da Sete Estrelas, um culto religioso que acredita no dia do juízo final e na reencarnação. Um membro do culto chamado Sidney entra em contato com o FBI fazendo acusações de abuso de crianças e de armazenamento de armas. Temendo outro Waco ou Jonestown, o BATF e o FBI fazem uma invasão no complexo. Nenhuma arma é achada, nem Vernon Ephesian, o perigoso e carismático líder do culto, que domina os seguidores com uma mistura da profecia bíblica, mensagens da Nova Era e uma intimidação antiquada.

Uma compulsão leva Mulder a procurar um campo perto de uma carvoeira que servia de abrigo na guerra civil, no abrigo se esconde Ephesian e suas seis esposas, todas à beira de um suicídio em massa. Uma das esposas, Melissa, dá atenção à Mulder. Ele se sente de alguma maneira familiar com ela. Ephesian e suas esposas são levados sob custódia. Mas sem nenhuma evidência de abuso de crianças ou armas ilegais, o FBI pode mantê-los sob custódia por apenas uma dia. Mulder e Scully são convocados para interrogar Ephesian e suas esposas. Ephesian não admite nada.

Com Melissa a história é outra. Sob interrogatório ela não é mais aquela garota hostil, e troca sua personalidade para o misterioso informante Sidney, um grosseiro nova-iorquino. Mas de alguma maneira Mulder sabe que o caso de Melissa é mais incomum do que uma desordem de personalidade múltipla. Ele está certo de que Sidney é uma das vidas passadas de Melissa. Scully, que já lidou com vários casos de dupla-personalidade, não entende porque Mulder está tão obcecado com Melissa, e tão certo de que ela tem razão.

Então vem uma revelação que surpreende Mulder. Melissa novamente troca de personalidade: agora ela é uma enfermeira da guerra civil chamada Sarah Kavanaugh. Ela lhes fala que assistiu à morte de seu noivo, Sullivan Biddle, que morreu no decorrer da longa batalha. E que Biddle é uma das vidas passadas de Mulder. Incondicionalmente Mulder acredita. Desesperado para descobrir a verdade... Mulder faz uma regressão.

Scully observa a série de vidas passadas de Mulder. Ele diz que as almas reencarnam juntas inúmeras vezes: ele, Scully, Samantha, e até mesmo o Canceroso estão destinados a terminar suas vidas juntas. Melissa e Mulder são almas gêmeas... e estão destinados a serem amantes.

A Melissa atual ouve a história de Mulder, mas ela não acredita. Ela volta para Ephesian. Scully não sabe o que pensar, especialmente quando ela descobre fotografias de Sarah e Sullivan em arquivos históricos. Ephesian conduz o culto em um suicídio em massa. Mulder descobre o corpo de Melissa... que estava apertando a fotografia de Sarah Kavanaugh.

 

Bastidores

 

Embora Shirley MacLaine, David Koresh e Jim Jones pareçam estar um pouco além do alcance das câmeras, o verdadeiro avô criador deste episódio foi Ken Burns, criador da série de documentários da PBS The Civil War. O romance do tempo da Guerra Civil entre Sullivan Biddle e Sarah Kavanaugh, Mulder e Melissa Ephesian em suas supostas vidas atuais, foi inspirado pelas tocantes cartas que o major Sullivan Ballou, oficial da União, mandou à sua mulher Sarah, e que foram o ponto alto do documentário de Burns.

- Aquela parte foi a predileta de Glen - disse Kristen Cloke, que deve saber o que está dizendo. Ela não só foi a principal atriz convidada no episódio, mas também trabalhou como produtora/consultora. Assim como uma grande parte dos atores convidados nos episódios escritos por Morgan e Wong para o 4o. ano de Arquivo X, ela também foi uma das estrelas da falecida série que os dois produziram, Comando Espacial (Space: Above and Beyond).

Kristen Cloke fez sua própria pesquisa a respeito dos distúrbios de múltiplas personalidades, antes de se iniciarem as filmagens, e usou pessoas que conheceu na vida real como base para as diversas personalidades que interpreta. Conforme se torna evidente, mesmo para os espectadores mais casuais, interpretar o papel de uma mulher tão perturbada como Melissa foi um processo difícil.

- Todas as mudanças que ela enfrenta, de uma personagem para outra, são provocadas pela tristeza - diz ela. - É preciso que a pessoa seja inacreditavelmente infeliz para fugir de si mesma como ela fazia.

Michael Massee, que fez o papel de Vernon Ephesian, não mantém atualmente relacionamento algum com qualquer pessoa do Arquivo X, mas teve um papel de coadjuvante em Playing God, filme de longa-metragem do qual David Duchovny participa.

- Eu interpreto um excêntrico agente do FBI - diz ele com uma risada. Para o papel de Ephesian, Massee tentou fazer o líder do culto parecer tão normal e equilibrado quanto possível.

- Toda a base daquele desempenho estava em apresentar o personagem como qualquer rapaz que conhecemos - diz ele. - É preciso que o público pense que ele acredita no que ele mesmo diz. Quando fala, está explicando que as coisas são assim mesmo, e é desse jeito que ele se torna assustador.

Um susto de outro tipo foi experimentado quando a editora Heather MacDougall terminou a primeira montagem. Com mais de uma hora de duração, O Campo Onde Eu Morri estabeleceu um recorde não oficial do Arquivo X por duração exagerada. Para que sobrasse espaço para os comerciais, nada menos do que dezoito minutos tiveram de ser dolorosamente cortados. No equivalente digital do piso da sala de edição ficaram duas personalidades completas de Melissa. Também se perdeu a maior parte de uma dessas personalidades, a da garotinha Lily, que agora aparece muito brevemente, na superfície.

Para criar o templo semelhante ao de Waco, que recebeu o nome de Sete Estrelas, a equipe de produção de Vancouver tomou a decisão relativamente rara de montar tudo dentro do estúdio de som, na sua base de operações, os Estúdios de North Shore. O diretor de arte Gary Allen, entre outros, acredita que foi o mais caro dos cenários que a equipe da série já montou. Para criar a atmosfera apropriada para a cena da morte de Melissa, o compositor Mark Snow usou pequenos trechos de uma gravação de cânticos gregorianos.

Para dar credibilidade às cenas em que Scully aparece no tribunal da comarca, o diretor de contra-regra Ken Hawryliw entrou em contato com as autoridades da verdadeira cidade de Apison, Tennessee, que fica a mais ou menos uma hora de carro a leste de Chattanooga. Eles lhe mandaram um verdadeiro registro de pessoas da cidade, no período anterior à Guerra Civil. Os registros foram reproduzidos pelo departamento de contra-regra, com a ajuda de um calígrafo profissional. As fotografias de Sullivan e Sarah, que à primeira, segunda e até terceira vista parecem fotos reais da época, mostrando Duchovny e Cloke, na verdade são fotografias de domínio público, copiadas de livros da época. - São fotos híbridas - explica Hawryliw. - Aproveitamos a roupa de uma foto, o rosto de outra, e os cabelos de outra. Foi um excelente trabalho de mistura por computador, e realmente não dá para ver o que nós fizemos e o que é real. O homem, cujo rosto nós usamos, lembra tanto a expressão de Fox Mulder que chega a ser assustador.

No entanto, os acontecimentos do presente têm muitos modos de se intrometer nos sonhos históricos. O fato de a tragédia de Heaven's Gate ter ocorrido menos de seis meses depois que o episódio foi levado ao ar fez com que alguns repórteres dessem insistentes telefonemas a Chris Carter que, naturalmente, recusou-se a fazer qualquer declaração.

Outro tipo de dúvida foi levantado por muitos fãs: o fato de Mulder e Scully terem sido sempre amigos, e nunca amantes, em suas vidas passadas, seria um modo de explicar por que, nas suas encarnações atuais, o relacionamento deles não se transformou em romance?

Aceitando estritamente a Regra de Ambigüidade do Arquivo X, nenhum dos roteiristas mostra-se disposto a responder sim ou não. Mas Gillian Anderson tem sua própria preferência:

- Adorei o roteiro - diz ela. - Cheguei a chorar. E a idéia de Mulder e Scully se conhecerem desde uma vida passada é algo em que eu adoraria acreditar.

* Kristen Cloke trabalhou em Comando Espacial (Space: Above and Beyond), a série produzida pelos roteiristas Glen Morgan e Jim Wong, onde fazia o papel da tenente Shane Vansen. Em um episódio daquela série, ela apareceu em uma cena com David Duchovny, que fazia uma rápida aparição como um andróide que gostava de jogar bilhar.

* O poema na primeira parte do episódio e no seu final é de "Paracelsus", de Robert Browning.

* O nome de Vernon Ephesian combina com o verdadeiro nome do líder de culto David Koresh, Vernon. O sobrenome é o título em inglês da epístola de São Paulo aos Efésios (Ephesian).