4x21: "ZERO SUM" (NÃO RESTOU MAIS NADA)


Jane Brody trabalha em uma empresa de correspondência, e avisa a uma colega de trabalho que vai no banheiro fumar um cigarro. Sem saber, centenas de abelhas saem pelas pias e entram no reservado onde ela está. A jovem mulher tenta esmagar os insetos para poder escapar, mas as abelhas atacam e a picam até a morte.

Um e-mail que contém fotografias da vítima é enviado para Mulder, mas Skinner intercepta e apaga o arquivo. Skinner apaga as evidências do ataque das abelhas e incinera o corpo de Jane Brody. Identificando-se como Fox Mulder, Skinner visita um laboratório de ciências da polícia de Virginia e troca um frasco que contém o sangue de Brody por um recipiente idêntico. Quando está partindo, Skinner é surpreendido pelo detetive Ray Thomas, o homem que enviou fotografias do corpo de Brody para Mulder. Skinner fala para Thomas desapontado (que pensa que ele é Fox Mulder) que a evidência não garante o envolvimento dele no caso.

Mulder visita Skinner. Ele declara que alguém se passou por ele para roubar as provas do laboratório. Ele também revela que o detetive Thomas foi achado morto, vítima de um tiroteio. Com Scully fazendo exames no hospital para o tratamento de seu câncer, Mulder pede ajuda a Skinner para resolver esse mistério. Depois daquela noite, Skinner é surpreendido pelo Canceroso. Skinner o acusa de assassinar o detetive Thomas. O Canceroso diz que Skinner "falhou em tentar neutralizar uma situação potencialmente comprometedora".

Mulder descobre que alguém roubou o corpo de Brody do necrotério e trocou a amostra de sangue da delegacia de polícia. Ele também descobre que Thomas foi morto por uma arma do governo. Depois disso, Skinner percebe que a própria arma desapareceu. Skinner revisita o banheiro em que Brody foi encontrada morta. Ele descobre um favo de abelhas no banheiro, e traz um pedaço para o entomologista Peter Valdespino analisar.

Mulder descobre que uma máquina fotográfica de vigilância capturou a imagem de alguém falando com Thomas logo antes dele ser assassinado. Ele leva a fotografia para a Unidade de Fotografias do FBI para ter uma imagem mais clara do homem que conversava com Thomas. Quando Valdespino entra no laboratório, ele sente a falta de uma larva encontrada no favo, e é atacado por um enxame de abelhas da mesma espécie. Os insetos matam o entomologista. Mulder descobre que Valdespino morreu de varíola. Ele teoriza que alguém criou um método de espalhar a doença pelos insetos.

Skinner interroga a colega de trabalho de Brody. Ela revela que uma correspondência danificada foi confiscada por alguns investigadores. Estudantes de uma escola da Carolina do Sul são atacados por um enxame de abelhas. Skinner fala para os doutores do hospital que as crianças não deveriam ser tratadas por picadas de abelha, e sim por varíola.

Na Unidade de Fotografia do FBI o computador produz uma imagem mais clara de Skinner falando com Thomas antes de ser assassinado. Enfurecido, Mulder acusa Skinner de trabalhar com o Canceroso desde o começo. Skinner nega e diz que foi usado. Skinner confronta o Canceroso e dispara três tiros para descontar sua raiva. O Canceroso instrui Marita Covarrubias, que está na companhia do Sindicato, para dizer a Mulder o que ele quer ouvir.

 

Bastidores

 

Segundo Frank Spotnitz, Não Restou Mais Nada foi um "acidente feliz". Esta é a versão resumida da história. A versão completa, que compreende uma luta quase desesperada e típica de Arquivo X para vencer uma série de obstáculos à criatividade da equipe de produção, começa com a notícia divulgada no meio da temporada de produção de que Gillian Anderson estaria ausente durante uma semana em março, para filmar sua participação no filme de longa-metragem The Mighty (Sempre Amigos), com Sharon Stone. Spotnitz diz:

- Precisávamos contar a história ao redor dela, mas sem a presença dela, e não parecia justo fazer David trabalhar como um cão enquanto Anderson tinha uma semana de descanso. Assim, procuramos deixá-lo mais tranqüilo, embora ainda envolvido até certo ponto com o desenvolvimento do enredo do episódio.

A solução foi recorrer ao diretor-assistente Walter Skinner, e a uma tradição anual de produzir um episódio em torno do papel desempenhado por Mitch Pileggi. E também recorrer ao produtor executivo Howard Gordon, especialista em Skinner, que já tinha participado de Encarnação, da 3a. temporada, como co-roteirista.

- Afinal de contas - diz Spotnitz -, Skinner já havia imitado Fausto, vendendo a alma ao Canceroso em Lembranças Finais. Chegou, então, o momento lógico de ver como funcionaria o acordo entre os dois. Também era um bom momento para trazer de volta as abelhas, que foram apresentadas no começo da temporada, em

Procura Incessante, mas que nunca chegaram a ser explicadas. O que pretendíamos evitar - acrescenta Spotnitz - era que alguma coisa de caráter paranormal acontecesse com Skinner. Já fizemos isso uma vez em Encarnação e não há razão alguma para que o mesmo fato se repita duas vezes na vida de uma pessoa.

Gordon vê o episódio sob uma ótica ligeiramente diferente. Para ele, produzir uma história sem Scully e com uma participação mínima de Mulder foi como trabalhar "com uma mão amarrada às costas". Gordon também lembra, balançando a cabeça, que ele e Spotnitz realizaram a monstruosa tarefa de produzir o roteiro em apenas um final de semana, em que trabalharam sem parar. Nesse mesmo final de semana, o seu roteiro anterior, para o episódio Sincronia, estava passando por sua complicadíssima etapa de filmagem.

- Basicamente, estávamos tentando preservar a integridade de Skinner como personagem, enquanto ele faz acordo com o diabo, permitindo ao mesmo tempo que entendamos o personagem e seu relacionamento com os agentes Mulder e Scully, levando-o à obscura região que fica entre o bem e o mal. Ou seja, até que ponto ele estaria disposto a sacrificar a si mesmo e sua integridade pelos dois agentes? Onde fica essa linha divisória?

Isso mesmo: onde fica?

- Quem sabe? - diz Mitch Pileggi, bem-humorado. - Ninguém diz coisa alguma a ninguém nesta série. O ator informa que, como de costume, nenhuma explicação lhe foi dada a respeito do comportamento do seu personagem no episódio. De fato, Pileggi foi informado com apenas alguns dias de antecedência que apareceria diante do público americano usando cuecas justas, ao invés de calções folgados. Isso lhe deu pouco tempo para correr para a academia e se exercitar sem parar para voltar à forma, mas não o bastante para se preparar para a seção de fotografias que a revista TV Guide publicaria logo em seguida.

- Aquele não foi um momento muito feliz para mim - diz Pileggi.

Tampouco foi recebida com alegria a notícia de que os personagens menos amados de Arquivo X seriam trazidos de volta. A essa altura dos acontecimentos, qualquer pessoa ligada à série já sabia que a palavra "abelha" é sinônimo de "problema", e Não Restou Mais Nada não foi exceção à regra. Como sempre, foi muito difícil controlar os insetos e eles quase não apareciam no filme. Como sempre também, este último problema teve de ser corrigido pelos especialistas em efeitos visuais, na fase de pós-produção.

- Laurie Kallsen-George teve basicamente nove dias para criar todas as seqüências com abelhas, o que, para um filme de longa-metragem, exigiria vários meses de trabalho - explica Howard Gordon. - Mas ela não desanimou em momento algum. Acho que, durante todo o período de produção deste episódio, ela dormiu apenas uma dezena de horas, se tanto.

Laurie Holden, que faz o papel de Marita Covarrubias, observa que sua cena final em Não Restou Mais Nada lhe permitiu finalmente ter uma idéia de onde está a lealdade da personagem, embora tudo fosse mudar, quando a diplomata das Nações Unidas apareceu de novo, no quinto ano.

Kim Manners, que dirigiu este episódio, parece ter sido a única pessoa da equipe, exceto Gillian Anderson, naturalmente, que conseguiu manter-se serenamente acima das dificuldades da produção.

- Este foi um episódio bastante bom para mim - diz ele -, porque nunca tinha tido chance de trabalhar com Mitch. E o roteiro que escreveram foi excelente, sabe? Foi uma coisa em que ele podia envolver-se bastante e Mitch fez um trabalho maravilhoso com seu personagem. Bill Davis também esteve fabuloso neste episódio.

* Este foi o segundo episódio filmado inteiramente sem a presença da agente Scully. O primeiro foi A Trindade, da 2a. temporada, e ela apareceu apenas em flashbacks no episódio Meditações Sobre um Canceroso.