7x04: "THE SIXTH EXTINCTION II: AMOR FATI" (A SEXTA EXTINÇÃO #2)


Mulder está sonhando, e este sonho se passa em uma praia, enquanto assiste um garoto perto de uma família. Na realidade, Mulder está ainda no hospital, em coma. A sua mãe entra no quarto para visitar o filho posicionando-se ao lado da cama e começa a conversar com ele, que, mesmo inconsciente, escuta a sua mãe, mas só se pode escuta-lo através de sua mente. Ela não pode ouvi-lo. O médico diz a Teena Mulder que não tem mais alternativas a recorrer. Quando ela deixa o quarto, vemos o Canceroso entrar. Ele sabe que Mulder pode ler pensamentos e injeta um soro em Mulder que permite andar e conversar. O Canceroso diz ao agente que ele tem a chance de viver ou morrer e diz: “Pegue minha mão, Fox; sou seu pai.”


Scully está trabalhando no escritório dos Arquivos X. Aparentemente ela estava estudando e analisando os textos e as fotos tiradas da nave espacial encontrada na África. As inscrições parecem ser escritas na língua dos índios Navajo. Kritschgau entra na sala e durante a conversa ele diz que há dois anos atrás Mulder foi exposto e infectado por um vírus de origem extraterrestre e que possivelmente a recente exposição ao artefato retirado da nave encontrada na África pode ter ativado os efeitos no corpo de Mulder. A conversa é interrompida pelo telefonema de Skinner informando que Mulder desapareceu do hospital. Chegando lá Scully e Skinner descobrem através dos registros que a mãe de Mulder o visitou recentemente. Skinner diz que ele não quer se envolver, pois ele teme estar sendo vigiado. Scully observa alguns vídeos da segurança do hospital e rapidamente identifica Teena Mulder e o Canceroso, mas percebe que a câmera foi coberta durante o tempo em que Mulder foi retirado de seu quarto.


Mulder vê novamente o menino na praia, e acorda algemado dentro do carro com Canceroso, que fala que ele pode voltar a vida e o encoraja para que primeiro olhe ao seu redor. Mulder está no que parece ser um elegante bairro e vê uma casa nova. Durante a conversa o Canceroso revela que os médicos no hospital estavam sob suas ordens mas para a sua proteção. O Canceroso lhe oferece um cigarro e diz que ele pode decidir entre ir e ficar, mas recomenda que antes da decisão ele analise o local, que o reserva muitas surpresas. Mulder então decide conhecer a casa. Dentro de sua casa nova, Mulder ainda está algemado. É como se Mulder participasse de um programa de proteção às testemunhas possuindo uma nova identidade, novos amigos e uma nova vida, e começa a vagar de um cômodo para outro. Chegando na cozinha Mulder abre a geladeira e encontra, entre os alimentos, muitos pacotes de sementes de girassol. Mulder se surpreende ao encontrar Garganta Profunda. Ele diz que assistiu ao seu funeral há seis anos atrás e se sentia culpado pela sua morte. Garganta diz que isso é besteira, já que agora tem aproveitado a sua vida como ninguém e ao mesmo tempo recomenda para que Mulder comece a aproveitar a sua também. Ele o convida para jantar em sua casa no final da rua onde mora com sua esposa e seus filhos. Ao virar-se para trás Mulder agora está em uma praia e assiste o menino montar um castelo de areia e o mesmo ser levado pela maré. Ele se aproxima e diz: “Está tudo bem, amigo, você pode começar tudo de novo”. De repente Mulder desperta abrindo repentinamente os olhos, ele olha para todos os lados, ele está em um quarto sem camisa e ainda algemado. O ambiente está escuro. Ele se senta na cama e observa lentamente a entrada de uma mulher que logo é revelada como sendo Diana Fowley, que se aproxima, abre as algemas e começa a beijá-lo.


Já é noite, e Scully está chegando em casa. Ao fechar a porta escuta um barulho. Ela saca a sua arma e vasculha a casa averiguando se existe algo de errado. Ela encontra Albert Hosteen e diz que pensava que ele estava muito doente. Albert diz que ela tem que encontrar Mulder antes que alguma coisa ruim aconteça com o agente. De volta ao escritório dos Arquivos X, Scully está tentando se comunicar com a mãe de Mulder. Ela liga para a casa dela mas, sem sucesso, deixa uma mensagem indicando para que ela entre em contato assim que escutar a mensagem. Após desligar o telefone um agente encarregado traz uma encomenda para Scully. Ela abre e tira de dentro um livro sobre “Práticas e Costumes dos Nativos Americanos”. Após folhear o livro percebe algumas referências a uma “Sexta Extinção”, e a um messias que salvaria o povo de uma peste. Scully, a partir daquele livro, cria uma conexão entre todos os acontecimentos e sua descoberta na África, até mesmo por identificar boa parte dos símbolos que também continham na espaçonave encontrada. Inquieta, liga para Skinner e pergunta se havia sido ele que enviou para ela. Enquanto Scully está contando a sua teoria, Skinner desliga o telefone. Ela vai até o gabinete do Diretor Assistente e é bloqueada na entrada pela secretária, mas decide entrar de qualquer maneira. Quando escutam Skinner gritar e pedir por socorro, o que vêem é um homem fugindo por uma segunda saída, enquanto Skinner está caído sobre sua mesa, sofrendo. Scully pede para que a secretária o socorra e sai na perseguição do misterioso homem pelos corredores do FBI. Ele deixa o controle que ativa os microrobôs nanotecnológicos cair do bolso e para fugir ativa o alarme de incêndio fazendo com todas as pessoas tomem medidas de segurança evacuando o prédio. Scully o perde na multidão.


Na nova casa Mulder é servido com o café da manhã por Diana. Tudo está perfeito, mas Mulder não está seguro do que realmente ele está fazendo e questiona a sua presença ali enquanto tudo lá fora está perdido. Scully vai até a casa de Kritschgau e exige respostas sobre o ataque em Skinner. Scully encontra um laptop com muitos dados retirados de seus arquivos, incluindo as fotos tiradas da nave na África e dos símbolos. Ela o acusa de estar analisando os dados para o Instituto Nacional de Saúde e de estar trabalhando duplamente, comprometendo as investigações que têm a finalidade de encontrar uma cura para Mulder e respostas para o que pode ser a nave encontrada na África.


Mulder tem outra visão da praia. O menino está triste porque a escultura de areia dele foi destruida pela maré. Mulder o conforta e encoraja o menino para que construa novamente. Mulder é acordado por Diana, que vem até a cama dele, convencendo-o das alegrias do matrimônio. Eles fazem amor. Após o café, Diana e Mulder vão visitar o Canceroso que também vive a alguns quarteirões da casa. Ele diz que Samantha tem vivido lá desde a sua abdução, como também os seus netos. Samantha, ao ver Mulder, o abraça firmemente. Mulder parece perturbado em seu sonho, mas a cena que realmente vemos é com o agente em um laboratório sobre uma mesa com muitos médicos ao seu redor. Um estranho dispositivo está ligado à sua cabeça. O Canceroso e Diana conversam sobre Mulder, sobre os seus sonhos que no momento são as únicas coisas que ele tem.


No FBI, Scully encontra Diana e diz a ela que o seu cheiro equivale a de um cigarro. Elas vão para uma sala. Scully desconfia do envolvimento dela com o desaparecimento de Mulder e exige que ela fale tudo o que sabe, acusando-a de estar colaborando com o Canceroso. De volta ao laboratório o Canceroso está conversando com o médico. Ele diz que durante anos fizeram incansáveis tentativas de criar um híbrido/humano alienígena e que Mulder já é um pronto, sendo assim imune ao futuro apocalipse virótico. Segundo o médico: “Ele é o herói”. O Canceroso questiona por que isso não foi descoberto antes e porque ele representava uma ameaça. O médico diz que ele talvez não sobreviva aos procedimentos e é advertido pelo Canceroso: “Caso isso aconteça, você vai sofrer a sina dos heróis”.


De volta ao sonho... Mulder está vestido com um smoking e Diana com um vestido de noiva. Eles vão se casar. Em uma sucessão rápida ele olha para trás quando escuta um grito e o tempo passou. Ele aparenta estar um pouco mais cansado e com algumas rugas. Quando olha ao seu redor vê dois garotos correndo pela casa brincando, ao se aproximar e passar a mão na cabeça de um dos garotos. Ele se vê mais velho no espelho e quando se vira está em um velório. No caixão está Diana. Mulder se debruça lamentando a morte. A câmera focaliza sua aliança. Um homem vem para consola-lo... é o Canceroso. Ele está de volta à praia e de longe vê o menino construindo um novo castelo de areia, mas na forma da nave espacial encontrada na África. O garoto começa a chutar tudo, e quando Mulder se aproxima, ele diz: “Achei que você iria me ajudar”.


Scully chega em casa e encontra novamente Albert Hosteen. Ele diz que ela não está procurando Mulder no lugar certo e que o encontrará se olhar no fundo do seu coração. Eles rezam juntos. No laboratório o Canceroso está deitado na mesa ao lado de Mulder. Ele também está conectado aos dispositivos. Diana acaricia o rosto de Mulder e diz que sua tarefa já está quase completa e que se arrepende por Mulder não poder fazer suas escolhas. O Canceroso diz que não pode deixar que seu filho morra por isso. Os médicos irão remover o material genético que está causando todos os distúrbios, mas esses mesmos materiais são os responsáveis pela imunidade ao vírus. O Canceroso irá receber o material se pondo no lugar do agente. Mulder acorda durante a cirurgia e encara Diana nos olhos. Sentindo-se culpada, ela sai da sala. O ângulo da câmera fecha nos olhos de Mulder, estamos de volta aos seus sonhos... Em um quarto escuro, Mulder está deitado se recuperando. Velho, ele pergunta sobre Samantha, sobre Garganta Profunda e sobre Scully. Ele pede para que o Canceroso abra as cortinas do quarto e quando isso é feito ele vê tudo destruído e em chamas, em conseqüência da invasão ao planeta por alienígenas.


Michael Kritschgau está morto no chão de seu apartamento, e vemos Krycek saindo com um laptop nas mãos - o apartamento está em chamas. Scully recebe um envelope por debaixo da porta. Ao abrir encontra um cartão magnético do Departamento de Defesa. De volta aos sonhos de Mulder, ele está deitado em uma mesa tendo o seu cérebro operado como Gibson Praise. Scully está nos corredores do Departamento de Defesa, até que encontra a sala correta e passa o cartão para entrar. Mulder está velho e Scully diz que não é justo que ele morra em uma cama confortável enquanto o demônio está lá fora. Scully o chama de covarde e vai embora. Ele não entende nada e grita por seu nome. De volta à realidade, Scully está passando o cartão para entrar na sala e encontra Mulder com a cabeça toda enfaixada. Ela o acaricia no rosto e pede para que ele acorde e reaja e que ele é único. Mulder pede por ajuda. Scully diz que precisa tira-lo dali e o ajuda a levantar. Eles se abraçam.


Uma semana depois, Mulder está em casa e vai abrir a porta para Scully. Ele ainda está com a cabeça toda enfaixada e com um boné do “New York Yankees”. Ele diz que estava se vestindo para ir até o escritório e dizer que Albert Hosteen faleceu na noite passada, no Novo México, depois de estar em coma há duas semanas. Scully, não acreditando, diz que isso não é possível pois eles rezaram juntos. Scully não sabe em que acreditar, o que realmente é verdade e em quem deve confiar. Ela informa Mulder de que Diana foi encontrada morta em seu próprio apartamento. Mulder diz que, durante o seu sonho, ele não soube em quem confiar, mas algumas permaneceram as mesmas, pois Scully ainda foi sua amiga e o ajudou a conduzi-lo à verdade. Quando o mundo estava sendo destruído ela era a única pessoa em que podia confiar, ela o beija na testa e vai embora.


Na cena final, nós vemos Mulder e o menino novamente na praia. Mulder está ajudando o menino a construir um enorme castelo de areia na forma da espaço nave alienígena.

 

 

COMENTÁRIOS


- Este episódio foi escrito por Chris Carter e David Duchovny.


- Os depoimentos abaixo são do livro "all things: Official Season 7 Episode Guide", de Marc Shapiro:


Frank Spotnitz: "Para David, havia um forte desejo de fazer diferente com Mulder. Ele viu muitos paralelos entre 'Arquivo X' e 'A Última Tentação de Cristo' que ele sentiu que podia mostrar."


Chris Carter: 'Amor Fati' foi algo muito pessoal para estes personagens mas, em particular, mais para Mulder. A grande pergunta era, ele fez a escolha certa ao decidir caçar alienígenas todos esses anos nos Arquivos X? Eu acho que havia algumas questões pessoais nisso para David."


Frank Spotnitz: "Todos nós sabíamos que era um roteiro importante e que muito da nova mitologia e da direção que o seriado iria tomar no resto da temporada estaria ali. Tudo neste arco da história foi um risco e 'Amor Fati' foi bem possivelmente o elemento mais arriscado dos três episódios. Como co-roteirista, David teve uma aposta particular nisso sendo tão bom quanto ele poderia ser."


Frank Spotnitz: "Chris tinha apenas começado a escrever 'The Sixth Extinction'. David tinha escrito metade do roteiro de 'Amor Fati', mas havia vazios que Chris tinha que vir e terminá-los mas não podia pois ainda estava escrevendo 'The Sixth Extinction'."


William B. Davis: "Para mim o episódio foi ótimo de atuar porque eles fizeram o Canceroso ficar mais valente. Tínhamos visto tanta leveza nele; foi ótimo atuar este lado mais valente. Eu me lembro de ficar totalmente desconfortável deitado naquelas mesas [nas cenas do transplante]. Tinha essa fita metálica que estava pressionando meu ombro. Meu único consolo era saber que o autor estava bem ali comigo, sentindo-se igualmente desconfortável. Gostaria de saber se David teria escrito da mesma maneira se ele soubesse que teria que passar por aquilo."


Frank Spotnitz: "Sabíamos que fazendo 'Amor Fati' estaríamos irritando algumas facções e provavelmente isto aconteceu mas nunca ouvimos nada de ninguém. Muitas vezes no passado fizemos coisas que eu tinha certeza que trariam cartas raivosas. Mas isso raramente aconteceu. E a razão é a maneira como tratamos as coisas. Em 'Amor Fati' nós tratamos o lado religioso com respeito."