7x06: "RUSH"(INVESTIDA)



Em Pittsfield, uma área rural localizada em Virginia, um jovem chamado Tony caminha por um bosque ignorando todos os sinais de sinais de "Não Ultrapassar". Ele está esperando por dois de seus amigos, Max e Chastity, e quando eles chegam, Max faz os dois prometerem não contar a ninguém o que irão ver, não importa o que aconteça, mesmo que pessoas morram. Atrás de Tony, uma forte luz brilha e quando ele se vira para ver o que é e volta nota que Max desapareceu. Um xerife chamado Foster está na floresta ordenando que eles saiam pois não tem permissão de estarem lá. O xerife ordena que ele vá para o carro de patrulha e decide verificar a ficha do rapaz pelo rádio. Quando ele está se comunicando com a central é atacado - escuta-se um grito e uma lanterna suja de sangue está no chão.


No Hospital da cidade está Mulder. Scully acaba de chegar e discute sobre o relatório que o parceiro a enviou por fax. Mulder diz que o caso do xerife assassinado na patrulha se torna anormal devido às circunstancias não mencionadas no relatório, de que ele foi espancado por um "homem invisível". Tony tem 16 anos e está sendo acusado de ter assassinado o xerife Foster e ter usado a lanterna como arma. Mulder acredita na inocência do garoto, já que ele tem se mostrado um excelente aluno. Os agentes estão no necrotério: Scully está analisando o corpo do xerife e ficam surpresa com o estado que se encontra o crânio dele, e sugere que o garoto possa ter se drogado e depois assassinado o policial. Mulder ainda acredita na inocência do garoto. Neste momento chega o xerife Hardin que acredita na culpa de Tony Reed e permite que os agentes conversem com ele. Na delegacia, Mulder e Scully cruzam com Chastity. Ela esbarra em Mulder e olha para ele, virando de volta. Ele olha para ela para ver quem era, e ela sorri para os agentes que entram em uma sala.


Mulder e Scully interrogam Tony Reed, que conta sobre a força invisível que matou o xerife. Mulder pergunta se ele estava apenas fingindo e continua dizendo que enquanto cresceu, viveu em uma cidade chamada "Dullsville", e sabe que onde Tony mora não se compara como uma "Living La vida Loca”. Mulder continua a fazer perguntas sobre o momento do crime, o momento em que escutou o grito e quando viu o corpo. O garoto diz que foi coisa de segundos. Mulder pergunta se havia alguém mais lá naquela noite. Ele hesita e então diz que quer voltar para sua cela. Fora da sala, Scully diz a Mulder que ela concorda que Tony provavelmente não é culpado, mas ela não acha que ele seja nada estranho como Mulder acredita.


Na Rose City High School, colégio onde eles estudavam, Chastity observa Max entrar na sala de aula e olha para o relógio quando está prestes a marcar meio-dia. O ponteiro se movimenta para trás antes de se movimentar para frente. Max está atrasado para fazer a prova. O professor, Sr. Babbit, discute com o garoto e diz que não se importa sobre quem é o pai de Max e que se ele se sair mal no teste, será reprovado. Max o desafia dizendo que não irá se sair mal, e pede um teste. Faltando alguns segundos para o final, Max devolve o teste. O sr. Babbit corrige as respostas e todas estão certas. O sinal toca e Chastity sai da sala, caminhando pelo corredor e é parada por Mulder e Scully. Ela não diz nada de consistente, diz que apenas foi visitar Tony e sabe que ele não fez nada. Max chega e diz que ela não precisa dizer nada porque eles não têm uma intimação. Mulder ameaça dizer ao pai dele, o xerife, que ele está obstruindo as investigações. Max olha Scully dos pés a cabeça e diz que ele deve ter sido a queridinha nos tempos de colégio. Ele vai embora deixando os agentes sem entender nada.


De volta à delegacia, Mulder e Scully descobrem que a única prova do crime, a lanterna, sumiu da sala de provas. Os agentes vão até um armário, onde Mulder encontra vestígios de algo estranho no chão. O xerife então mostra o vídeo da segurança, mas não há ninguém passando próximo ao armário. Mulder pede para passar o vídeo quadro a quadro e consegue ver uma sombra em um dos quadros. Tony é libertado por falta de provas, e quando o menino chega em casa vê sua mãe revoltada. Ela diz que o verdadeiro culpado é o seu amigo e exige que Tony não o veja mais. Ela deixa a sala e Tony sobe para seu quarto, onde ouve um som e decide ir até a janela. Ele vê Max do lado de fora, acenando para que ele saia. Dentro de um carro, os dois conversam e Tony descobre que o carro é roubado. Max disse que Foster mereceu morrer, pois estava bisbilhotando. Quando Tony olha para o lado e depois se vira para fazer uma pergunta a Max, nota que ele não está mais no veículo, que bate em uma árvore. O carro está totalmente destruído. A câmera se move para trás e vemos Tony no gramado. Max se aproxima e diz que vai torná-lo um deles.


No escritório dos Arquivos X, Mulder e Scully chamam Chuck Burks, que analisa o vídeo tape e conclui que não se trata de um defeito no vídeo. Mulder então ironiza dizendo: “Scully, acho que o nosso amigo Chuck está prestes a nos transportar em uma viagem rumo ao paranormal”. Chuck explica que, a olho nu, ninguém está perto do armário, no entanto, quando o vídeo é colocado quadro a quadro aparece uma mancha em um dos quadros. Há uma sombra de alguma coisa, mas não há um objeto sólido para dar a sombra. Eles ampliam a imagem e agora é possível ver as cores da escola no meio dos borrões. Na escola está todo mundo olhando para Tony. Ele conversa com Chastity, contando a ela que talvez ele não foi feito para isso, mas ela diz que é um pouco tarde para decisões. Quando eles entram na sala, o sr. Babbit está devolvendo as provas e Max tira F. Babbit afirma que deu esta nota pois sabe que Max estava colando, mesmo não sabendo como. Max se levanta e vai embora, jogando a prova no chão.


Na lanchonete, o sr. Babbit tropeça e sua bandeja cai no chão, como se ele tivesse sido empurrado. De longe Tony vê Max em pé, um pouco distante. Ele sabe que é ele quem está fazendo isso, mas não pode fazer nada para impedir. Max fica invisível quando se movimenta, e ninguém pode vê-lo nessa velocidade. O professor é espancado e suas mãos começam a sangrar. Ele recebe um golpe na cabeça e depois recebe um golpe de uma cadeira que é arremessada contra ele. Na cena do crime, Mulder agora suspeita de Max que desde pequeno vem tendo problemas disciplinares, principalmente em suas notas que decaíram nos últimos meses. Scully diz que talvez essa mudança se deva ao fato dele estar crescendo e sofrendo as mudanças naturais como todo adolescente. Mulder sugere que talvez Max tenha desenvolvido ou ganhado algum tipo de poder psicocinético. O agente quer saber onde ele ganhou esse poder. Mulder e Scully são avisados que o xerife Harden está levando Max para o hospital pois ele desmaiou no estacionamento. No bosque, Tony segue Chastity e encontra uma caverna. Quando ele pisa no meio de um circulo de luz, ele começa a se movimentar e se mover violentamente.


No hospital, os agentes confrontam Max. Mulder diz que Max está tomando drogas que o faz adquirir forças, e foi isso que o ajudou a matar o professor Babbit. Scully lê o prontuário e diz que os sintomas estão sendo causados devido à extrema exaltação, liberação de adrenalina que é decorrente da maneira que o seu corpo anda se movimentando. Chastity está de pé no corredor olhando ao redor. Scully olha a tomografia computadorizada de Max e identifica algumas lesões localizadas no cérebro dele como também em toda a estrutura muscular do seu corpo. Através da monitoração do quarto de Max, uma enfermeira vê Chastity entrando, mas quando ela vai até lá não encontra ninguém. Quando ela sai, Chastity volta e ajuda Max a fugir do hospital. A enfermeira comunica aos agentes o sumiço do garoto. Mulder e Scully começam a analisar as roupas de Max, e a sola do sapato dele está recoberta com uma estranha substância, a mesma que Mulder encontrou na sala de provas da delegacia. Ele diz a Scully que Max adquiriu um tipo de velocidade, o que lhe permite movimentar-se mais rápido do que os olhos podem ver. Scully diz que isso é impossível, já que o corpo humano não tem uma estrutura capaz de suportar esse tipo de movimentação. Mulder acha que esse detalhe explica o resultado dos exames e radiografias onde foram indicados as lesões e machucados no corpo dele.


O xerife Harden chega em casa, sobe as escadas e olha no quarto de Max. Ele encontra a lanterna que foi roubada da sala de provas. Ele escuta alguém, coloca a lanterna de volta e desce as escadas. Max está lá, com a lanterna na mão. Ele está com sua arma na mão e bate no seu pai no abdômen, mas Tony corre e tira a arma da mão dele, apontando para sua cabeça. O xerife é levado para a emergência do hospital, inconsciente e com hemorragia. Mulder e Scully encontram o xerife Harden no hospital, e diz que a lanterna foi misteriosamente devolvida para ele, mas sua arma está desaparecida. Mulder diz que alguém está intervindo no caso, já Scully quer saber como alguém poderia ter parado ele com a força que tinha. Mulder diz que era uma pessoa que sabia exatamente o que Max fazia para ganhar a velocidade: Tony. Eles concluem que deveria ser procurado o local onde Max adquiriu esse poder. Eles deduzem que na floresta próxima ao bosque onde o xerife Foster foi assassinado poderia estar a fonte de tudo.


Chastity está dirigindo um carro com Tony ao lado, e eles estão correndo. Ao chegarem na floresta, Tony e Chastity saem do carro e correm em direção a caverna, Tony tropeça e cai, mas ele diz a Chastity para ela continuar, pois ele a alcançará. Quando Tony entra na caverna, vê Chastity caída no chão, aparentemente morta. Tony vai até o lugar onde Max adquiriu o poder de se movimentar rapidamente e o encontra. Tony está armado, mas Max consegue desarmá-lo e começa a brigar com ele o socando. Ele pega a arma e aponta para Tony, mas Chastity tira a arma de Max antes que ele possa atirar. Ela atira em Max nas costas e depois corre para frente da bala. Ela olha para Tony, dizendo que sente muito, mas ela não pode voltar logo depois. Tanto ela como Max caem no chão, pois a bala atingiu os dois. Mulder e Scully estão saindo do carro quando escutam o disparo próximo à caverna. Eles correm e lá dentro encontram Max baleado, e Tony, segurando Chastity.


Scully pergunta a Mulder o que foi encontrado na caverna ou porque eles não ganharam a "rapidez nos movimentos" por estarem na caverna. Mulder diz que os cientistas e geólogos não encontraram nada e concorda com ela ao que se refere no fato deles ainda estarem “devagar”. Ele explica que eles devem estar muito velhos pra isso. Ela tinha dito que os jovens eram diferentes e que isso talvez só afetasse a eles. Scully sorri e diz que isso é duvidoso, mas não mais do que qualquer outra teoria. Segundo Mulder a caverna havia sido lacrada com concreto por precaução, e desta forma eles nunca vão saber. Mulder pergunta sobre o estado de Tony. Scully diz que ele ficara bem e voltará a ser um garoto normal. Mulder e Scully vão embora. Tony está no hospital com a mãe dele, e quando olha para o relógio, o ponteiro volta um segundo e aí volta ao normal de novo. Ele ainda tem o poder de se movimentar com rapidez.

COMENTÁRIOS E DEPOIMENTOS


- Os depoimentos abaixo são do livro "all things: Official Season 7 Episode Guide", de Marc Shapiro:


David Amann (diretor): "A idéia inicial para a história era o que o efeito de o poder da super-velocidade teria em adolescentes com problemas. Mas se tornou mais profundo do que isso. Adorei o modo como o aspecto paranormal da série se misturou com o aspecto temático do episódio, que era a impaciência e a impetuosidade da juventude."

Frank Spotnitz: "A história tinha um foco emocional bem forte, que era aquele garoto que queria fazer parte do grupo mais descolado. A coisa da velocidade matar e como isso foi relacionado ao uso de drogas e todas as outras coisas que a maioria dos adolescentes passam, tudo isso se encaixou."

Rick Millikan (diretor de elenco): "Era tudo sobre adolescentes, mas sendo Arquivo X estávamos procurando por algo mais do que garotos normais do tipo Barrados no Baile. Havia certas qualidades que esses garotos precisariam ter. Eles tinham que ter um tipo sutil de maldade entre eles, assim como arrogância e vulnerabilidade. O difícil de escolher um elenco dessa idade é que quase todos os bons já estão trabalhando. Tivemos que encontrar alguém que estivesse entre os grandes ou que não estivesse trabalhando na época."

Danny Wesiles (coordenador de dublês): "Eu fui o dublê do professor que morre com aquela mesa voando pelo ginásio. Prendemos um cabo na mesa e a puxamos pelo chão do ginásio. Então cortamos, colocamos um boneco na mesa, e jogamos tudo numa parede de concreto. Para as seqüências dentro da caverna, nós colocamos um dublê em cabos e o levantamos por uma parede da caverna. Para a seqüência do acidente de carro controlamos um carro e fizemos ele bater num poste de telefone a cinqüenta milhas por hora."