7x07: "ORISON" (REVERENDO ORISON)


Numa penitenciária federal em Illinois, um homem, o reverendo Orison, está orando junto a um grupo de prisioneiros. Entre os criminosos está Donnie Pfaster. O reverendo Orison diz coisas como: "O amor de Deus é uma promessa" e “O amor de Deus nos guiará até a liberdade".

Quando ele diz “Gloria, Amém”, todos os outros prisioneiros respondem à oração batendo os pés no chão, menos Donnie, que permanece calado e quieto observando os outros. Algum tempo depois, numa sala onde os presos desenvolvem atividades, Donnie vem até um policial e é repreendido. Eles são interrompidos por um grito vindo de trás da sala, onde um prisioneiro que estava trabalhando com uma serra cortou os dedos em uma lâmina. Enquanto os policiais socorrem o prisioneiro, Donnie aproveita toda a confusão para fugir da prisão, saindo sem ser abordado.


Em seu quarto, Scully acorda com o som do vento batendo na janela. Ela se levanta e a fecha. Voltando para a cama, nota que o relógio mostra "6:66". Ela se assusta, e o visor digital treme e apaga. Quando a eletricidade volta, o relógio mostra "6:06". Na penitenciária federal, os federais já estão presentes e falam com Mulder e Scully, que estão tentando determinar como Donnie Pfaster fugiu. Ela diz que o caso não está mexendo com ela, mas afeta a sua memória pelas lembranças de quando foi seqüestrada anos atrás. Na sala onde Orison rezou com os prisioneiros, Scully ouve uma canção que ela reconhece como sendo uma canção de sua infância, “Don't Look Any Further“, cujo som vem de uma entrada de ar.


Mulder entrevista o homem que teve os dedos cortados (na verdade ele não cortou os dedos, embora tivesse sentido a lâmina). O agente acredita que a fuga de Donnie foi resultado de uma hipnose em massa, mas duvida que ele tivesse feito isso, mesmo sabendo que anteriormente dois outros prisioneiros escaparam da mesma maneira e nunca mais foram vistos novamente. Mulder observa que o reverendo Orison teve contato com todos os três homens desaparecidos, ainda que estivesse dentro de um presídio de segurança máxima.


Em Harrisburg, 12:52 PM, numa cafeteria, Donnie entra e senta-se à mesa com uma prostituta. Ele se oferece para cuidar das unhas dela, mas Orison o interrompe dizendo que ele recebeu uma graça de Deus e com isso a liberdade, sendo essa a única coisa que o manterá fora da prisão. Alguns policiais que estão fazendo a busca na cidade entram no local. Orison, sentindo isso, começa a cantar e quando diz “Glória, Amém”, a mulher grita e os policiais se viram e avistam Donnie e Orison, mas eles desaparecem. No carro, Donnie está fugindo com a prostituta e atropela Orison de propósito com o seu próprio carro.


Quando Mulder e Scully chegam na cafeteria, os policiais estão muito confusos, pois eles viram Donnie, mas ele não estava mais lá. Em um rádio da cafeteria, Scully ouve a mesma canção que tocou no presídio, “Don't Look Any Further“. Os agentes vão para o hospital, pois receberam informações de que Orison estaria internado lá. Ao chegarem, Scully vai até o quarto dele e o entrevista. Orison diz que Scully ouviu o chamado de Deus, mas que ela não sabe o que fazer, e então ele a chama de “exploradora”. Mulder entra no quarto com uma foto da prostituta assassinada e Orison fica chocado com o que vê. Mulder conclui que Orison colaborou com a fuga dos prisioneiros. Na ficha do reverendo, os agentes descobrem que ele foi condenado por assassinato em 1959 e passou 22 anos de sua vida na prisão.


Scully confessa a Mulder estar confusa ouvindo aquela canção repetidamente, pois não ouvia a mesma canção há muitos anos. Ela se lembra de quando tinha 13 anos e seu pai tinha estacionando o carro em San Diego. Ela estava escutando rádio e aquela canção estava tocando quando sua mãe chegou trazendo a notícia de que seu professor de catecismo tinha sido assassinado. O nome da escola era “Explorador”. Scully acha que Deus está tentando falar com ela. Donnie está sentado no carro de Orison no acostamento da estrada. No rádio o locutor avisa sobre um fugitivo perigoso que está em posse de um carro roubado. Donnie desce do automóvel e começa a cobri-lo, encontrando as chaves da casa de Orison.


No hospital, Mulder mostra para Scully um exame da cabeça de Orison que mostra um buraco no crânio que foi feito pelo próprio reverendo, o que faz com que haja mais oxigênio no cérebro permitindo o bombeamento três vezes maior de sangue nas artérias. Mulder diz que Orison se feriu provavelmente quando ainda estava na prisão, e talvez isso o fez desenvolver os seus poderes. Algumas pessoas acreditam que tendo mais sangue fluindo no cérebro podem surgir poderes especiais, como o da hipnose. No quarto, Orison começa a rezar e diz “Glória, Amém”, conseguindo fugir sem que os guardas vejam e ainda pegando a arma de um deles.


Em Equality, Illinois, Donnie está na casa de Orison e chama por uma prostituta através do telefone. Quando ela chega na casa, percebe-se que é uma menina ruiva. Donnie então retoma sua antiga rotina e começa a preparar um banho para ela, perguntando se o cabelo dela era quimicamente tratado. Ela entra na banheira e logo depois começa a achar que Donnie é um cara estranho, decidindo ir embora. Quando ela se levanta, a peruca de cabelos ruivos cai, despertando a raiva em Donnie, que fica furioso. A menina consegue derrubá-lo e corre, fugindo. De volta ao hospital, Mulder e Scully vão ao quarto de Orison e notam que ele se foi. O guarda que estava vigiando está em uma espécie de transe e é acordado por Mulder que o balança, mas ele não se lembra de nada do que aconteceu. Scully encontra um pedaço de papel que o reverendo tinha escrito, que dizia: “Don't Look Any Further” (Não Olhe Adiante), que é o título da canção que Scully tinha escutado. Mulder diz que talvez Orison ouviu seus comentários, mas ela diz que não mencionou o título da canção na conversa. Mulder diz que isso pode ser uma mensagem para que ela não olhe adiante.


Quando Donnie acorda no chão do banheiro, Orison está atrás dele com a arma do policial apontada para a sua cabeça. Donnie pergunta o que ele está fazendo e Orison explica que quanto menor for o tempo em que ele for levado pra “casa” menos será castigado pelo Senhor. Do lado de fora da casa, Donnie agora está ajoelhado ao lado de uma sepultura que está sendo cavada por Orison. Ele começa a chorar pedindo para que Orison não o mate. Quando olha para o reverendo, a face de Donnie transforma-se na de um demônio. Orison começa o canto e diz: “Glória, Amém”, Donnie toma a arma dele e o mata. Na cena do crime, Mulder e Scully estão com os federais, discutindo por que Donnie teria ligado para a policia avisando sobre o corpo. Scully acha que talvez ele queira ser caçado, e para Mulder o caso de Arquivo X que correspondia aos poderes de Orison acabou e eles devem deixar a caçada nas mãos dos federais. Donnie Pfaster entra na casa de Scully e vai até o seu quarto. Chegando lá, encontra a bíblia dela e a esconde numa gaveta. Algum tempo depois, Scully chega em casa, e Donnie escondido no armário assiste a agente se preparar para dormir.


No quarto, Scully nota que o relógio está marcando “6:66” de novo. Ela desconfia que algo esteja errado. Neste momento, Donnie sai do armário onde estava escondido. Scully corre, mas é alcançada e começa a lutar. Ele tenta enforcá-la, ela consegue atingir os olhos dele com os dedos fazendo-os sangrar e dá-lhe um soco. Ela consegue alcançar a arma, mas Donnie a joga para longe acertando o espelho e o quebrando. Scully e Donnie lutam por muito tempo, e quando ela tem a situação sob controle começa a correr, mas ele a alcança e amarra suas mãos. Em meios aos gritos desesperados da agente, ele diz que vai dar um banho nela. Na casa do agente Mulder, um dos xerifes encarregados da procura de Donnie Pfaster deixou um recado: “Agente Mulder, uma garota veio até nós e disse que um cara que se identificou como Donnie Pfaster a atacou. Ela disse que ele ficou irritado quando viu que ela estava usando uma peruca ruiva. Ou seja, ficou irritado por ela não ser uma ruiva de verdade. Isto significa alguma coisa para você?". Neste momento, Mulder está chegando em seu apartamento, e ao entrar ele não verifica a secretária eletrônica.


Donnie prende Scully no armário com os pulsos para trás, e vai até o banheiro, onde começa a encher a banheira de água. Ela tenta se livrar mas não consegue. Mulder está se preparando para ir dormir - ele escova os dentes e arruma o alarme do seu rádio-relógio, notando que “Don't Look Any Further“ – a mesma música que a parceira tinha comentado – está tocando. Ele então resolve ligar para ela. No apartamento de Scully o telefone toca, mas Donnie ignora e liga o aparelho de som com a mesma música. Scully fica surpresa. Mulder, deitado em sua cama, desiste e desliga o telefone. Scully aproveita a distração de Donnie, que está preparando o banho, e continua tentando livrar as mãos. Conseguindo, ela livra as pernas e vai até o outro quarto para pegar sua arma que foi deixada no chão.


As cenas seguintes são em câmera lenta. Mulder arromba a porta com sua arma nas mãos e rende Donnie, apontando para sua cabeça. Scully entra no quarto por trás de Donnie e atira. Scully está transtornada e sangrando. Depois do acontecido, Scully está chateada. Mulder fala que Donnie teria matado novamente e que ela conseguiu ver isso. Mulder acha que seu relatório refletirá se ela está preocupada com o assunto. Triste, ela conta para Mulder que não sabe por que atirou, ou que força estava agindo sobre ela quando apertou o gatilho. Mulder pergunta se ela acha que Deus foi quem a estava dirigindo, e ela diz que a preocupação dela é se era Ele.

DEPOIMENTOS

 

- Os depoimentos abaixo são do livro "all things: Official Season 7 Episode Guide", de Marc Shapiro:


Chris Carter: "Tínhamos conversado sobre a possibilidade de revisitar antigos monstros nesta temporada, e pareceu a oportunidade perfeita. Sabíamos que Donnie tinha um histórico com Scully em 'Irresistible' e trazê-lo de volta traria várias possibilidades com Scully."

Frank Spotnitz: "Para mim, o que realmente justificou trazer Donnie de volta foi o ato final do script quando Donnie vai até Scully e ela acaba enchendo ele de buracos de tiros. Uma vez que decidimos trazer Donnie de volta, começamos a ficar excitados com o script."

John Shiban: "Decidimos mais tarde no processo em transformá-lo neste personagem totalmente demoníaco, essencialmente o mal como uma entidade."

Frank Spotnitz: "O problema em fazer isso [voltar na história de Pfaster] era que noventa por cento das boas coisas foram feitas pela primeira vez em 'Irresistible'. Aquela história foi ótima e assustadora. Seria difícil competir com aquilo. Mas o que o script para 'Orison' nos deu foi outro vilão que estava tentando servir a Deus liberando prisioneiros e os matando. Sabíamos que a intensidade entre Scully e Pfaster deveria ser mais profunda e mais envolvente. E aquilo acabaria levando Scully aonde ela nunca esteve antes."

Gillian Anderson: "Trabalhar com Nick Chinlund [que fez Donnie] novamente foi estranho. Eu quase tinha me esquecido o quanto intenso ele era."

Gillian Anderson: "Algumas das cenas de ação eu tive que fazer. Eu tive que me arrastar por debaixo da cama com minhas pernas e mãos amarradas. Fiz cenas e mais cenas me arrastando que nem um verme. Eu me machuquei."

Paul Rabwin: "Sentimos que precisávamos de alguém para gravar a versão original da música 'Don't Look Any Further'. Chegamos a falar com Lyle Lovett mas ele não estava disponível. Mas muitos de nós admiramos o cantor e compositor John Hiatt, e então o chamamos. Ele se empolgou e nos mandou uma fita com a música. Era frio, misterioso e cheio de alma. Foi perfeito."