7x10: "SEIN UND ZEIT" (LIBERTAÇÃO - PARTE 1)


Amber Lynn LaPierre, uma jovem menina, está em seu quarto rezando antes de ir para cama, e seus pais estão assistindo através de uma fresta na porta. Em seguida Billie LaPierre, o pai da menina, vai para sala e começa a assistir um episódio de “Harsh Realm” na tv; a mãe vai para o quarto, onde começa a escrever em um pedaço de papel. É como se ela estivesse escrevendo o relatório de um rapto, e o bilhete termina com a frase: “Ninguém atira no Papai Noel”. Escuta-se um estrondo na casa, e o pai Billie LaPierre vai até o quarto de Amber Lynn para verificar se a filha está bem, mas quando ele entra no quarto percebe algo de anormal e se aproxima da menina. Quando ele a vira, tem a visão de que ela está morta devido à aparência do corpo. Ele sai do quarto para pedir ajuda, e, quando ele volta, a porta está trancada e uma poça de sangue começa a se formar por debaixo da porta. Sua esposa começa a gritar e Billie então arromba a porta, mas Amber Lynn sumiu.


São 3 da manhã. Mulder está no Quartel General do FBI, pois ficou sabendo do caso e pede a Skinner para investigá-lo, mas o Diretor Assistente não acha que se trate de um Arquivo X e o questiona dizendo que se trata de um caso clássico de seqüestro e que tem agentes especializados no assunto. Mulder vai embora sem ter uma resposta negativa ou positiva de Skinner. Já é dia, e Mulder vai até a residência dos LaPierre para conversar com eles e dar inicio as investigações, mas durante a entrevista, o agente percebe que talvez eles possam estar mentindo sobre o que realmente aconteceu. Já são 10 horas da noite, Mulder está deitado na cama de um quarto de hotel quando escuta alguém bater. Ele pede para que entre, dizendo que a porta esta aberta. É Scully. Eles discutem sobre o fato de Skinner não ter autorizado a sua participação no caso e diz que ele a enviou para encontrá-lo. São interrompidos pelo telefone celular de Mulder que começa a tocar. É sua mãe que pergunta se ele viu as notícias na televisão sobre o desaparecimento de Amber Lynn, se ele está no caso e quando ele irá voltar. Ele confirma as perguntas da mãe e diz que ligará para ela quando voltar. Teena Mulder desliga o telefone olhando uma velha foto de família onde Samantha está ao lado de Mulder quando jovens.


Em Washington, Skinner está em uma reunião e fala sobre a carta e o que pode ser entendido dela. Entre diversas ameaças físicas, a carta não menciona nenhum tipo de resgate ou dinheiro. Eles concluem que o que foi escrito talvez não tenha sido planejado. Neste momento, Mulder e Scully entram, mas Skinner continua, dizendo que as impressões digitais da senhora LaPierre foram encontradas lá e sugere que a letra também pode ser dela, mas que isso ainda não pode ser provado. Mulder diz que o senhor LaPierre encontrou a filha quando estava indo dormir, mas o relatório da polícia diz que quando os guardas chegaram, a televisão ainda estava ligada. Ele completa dizendo que nenhuma das teorias parece explicar o que realmente aconteceu com a pequena Amber Lynn.


No escritório dos Arquivos X, Mulder parece estar procurando por um arquivo. Scully acha que o parceiro está se sensibilizando com tudo devido à abdução de sua irmã e tenta convencê-lo a abandonar as investigações. Mulder encontra um velho Arquivo X de 1987 onde houve um seqüestro em Pocatella, Idaho, com uma outra carta que tinha a mesma frase: “Ninguém atira no Papai Noel”. Em outro lugar, aparentemente desconhecido, um homem está filmando algumas crianças de dentro do seu carro. A cena não mostra o seu rosto, mas mostra um pequeno Papai Noel pendurado no espelho retrovisor.


O caso que Mulder encontrou se referia ao filho de seis anos de Kathy Lee Tencate que também foi levado do seu quarto. Ela está presa em uma penitenciária feminina de Idaho, e eles vão visitá-la. Kathy diz que foi condenada pelo assassinato do próprio filho.Alguns anos depois de já estar presa, a justiça determinou que foi ela quem escreveu a carta. Mulder então pergunta sobre o que quer dizer a frase: “Ninguém atira no Papai Noel”. Ela tenta explicar dizendo sobre pessoas que prometem presentes e que tem medo de não cumprir a promessa. Mulder fala sobre o recente desaparecimento de Amber Lynn e mostra a carta. Ela olha mas não diz nada. Mulder então pergunta a ela o que aconteceu quando indicou o lugar onde o seu filho havia sido enterrado, mesmo a policia não encontrando nenhum corpo. Ela responde dizendo que não pode dizer porque não fez nada. Os agentes vão embora. Mulder acredita que ela é inocente mesmo se recusando a ajudar. De volta à cela, Kathy Lee está chorando e de repente tem uma visão do seu filho, mas ele logo desaparece. Ela grita para que o guarda chame Mulder e Scully novamente.


No apartamento de Mulder, o telefone toca e logo a secretária eletrônica se aciona. É Teena Mulder, que deixa uma mensagem pro filho: “Fox, é a sua mãe. Eu esperei você retornar a ligação, mas não tive notícias. Tenho certeza de que está ocupado. Estou emocionada devido a algumas coisas, mas nem sei por onde começar a contar. Eu partirei devido a algumas razões que espero que você um dia entenda.” Enquanto ela deixa a mensagem à cena mostra muitas molduras vazias com fotos espalhadas e queimando algumas de seus filhos quando pequenos.


Os LaPierres vem até a prisão a pedido de Mulder para ver um videotape de Kathy Lee que fala sobre uma outra pessoa que estaria com ela escrevendo a carta para ela, mas que não pode explicar como tudo aconteceu. Ela também diz que as crianças estão seguras em algum lugar. O desaparecimento de Amber Lynn virou notícia em diversos telejornais e agora os repórteres estão atrás de notícias cercando o local para conseguir uma entrevista dos LaPierres, mas quem acaba falando com eles é Mulder: “A investigação federal do caso continuará, mas não consideramos os LaPierres como suspeitos. Nós estamos intensificando nossa procura por Amber Lynn e estamos esperançosos pelo retorno dela.”


A cena corta para o escritório de Skinner, onde ele está assistindo a entrevista com o próprio Mulder junto. Skinner questiona as palavras de Mulder para com a imprensa, dizendo que intensificar muito mais a busca só seria possível em “Além da Imaginação” (Twilight Zone, é justamente isso que ele diz). Skinner também fala sobre Kathy Lee e que seria melhor Mulder procurar por evidências em um mundo real. Scully entra na sala de Skinner e interrompe a discussão dizendo: “Mulder, sua mãe está morta.”


Mulder e Scully chegam na residência de Teena Mulder, em Greenwich, onde ela se suicidou. A polícia ainda está analisando a cena e, além de concluir que o gás do forno estava aberto, eles também encontraram embalagens de Diazepan, que ela usou para dormir. Mulder diz que não entende porque ela faria isso. Porque as fotos espalhadas? Mulder suspeita de que a pessoa que fez isso a ela, talvez seja a mesma que levou sua irmã, e então pede a Scully que faça uma autópsia. Mulder vai novamente falar com Kathy Lee sobre o desaparecimento do filho dela e também de sua irmã. Kathy Lee diz que Samantha foi levada para que sua alma fosse protegida, mas não sabe pra onde as crianças são levadas. No “Santa’s North Pole Village”, onde é Natal o ano todo, algumas crianças estão saindo de um furgão, e Amber Lynn está junto dessas crianças. Um homem também está lá e é o mesmo homem que apareceu antes. O homem diz para outro que as crianças querem ver o Papai Noel e elas entram no local onde dentro há prateleiras com muitas fitas de vídeo e televisões. O homem então começa a se vestir de Papai Noel.


No apartamento de Mulder, ele encontra a mensagem que sua mãe lhe deixou na secretária. Ele escuta várias vezes alguns trechos. Scully entra e ele diz que sua mãe estava tentando lhe dizer alguma coisa e repete o trecho. Mulder acha que sua mãe sabia onde Amber Lynn poderia ser encontrada. Todos os pais que tiveram suas filhas e filhos levados escreveram notas descrevendo o cenário do rapto. Ele diz que sua mãe também tinha escrito uma nota quando Samantha desapareceu descrevendo um cenário de rapto por alienígenas. Ele então conclui que em todos esses anos talvez estivesse procurando sua irmã no lugar errado e que sua mãe tentou lhe avisar - eles a teriam matado por isso. Scully diz que sua mãe se suicidou, pois a autópsia revelou que ela estava morrendo de uma doença terminal chamada “Padgett’s Carcinoma”, e ela não queria mais viver. Scully também diz que, se sua mãe estava tentando dizer alguma coisa, era para que ele pare de procurar sua irmã, para aliviar a dor do filho. Mulder começa a chorar, a se movimentar em desespero, e Scully o abraça tentando confortar o parceiro. Na residência dos LaPierres, a Sra LaPierre tem uma visão de sua filha.


Na manhã seguinte, Skinner chega ao apartamento de Mulder. Scully é quem abre a porta. Skinner pergunta o que ela está fazendo lá, e a agente responde que foi uma noite difícil para Mulder. Skinner também diz que a senhora LaPierre quer falar com ele. Os três voltam a Califórnia e, quando chegam lá, Billie LaPierre descreve que também viu a filha de pijamas enquanto tentava dizer alguma coisa. As palavras possivelmente seriam “setenta e quatro”. Mulder diz a Skinner e Scully que Amber Lynn está morta e que o que os LaPierres viram foi o fantasma da menina. Mulder diz que quer sair do caso para tirar licença.


Eles partem de volta a Washington, e, no caminho, Scully avista uma placa de saída para a Rodovia 74, que dá acesso ao “Santa’s North Pole Village”. Ela avisa Skinner, que pega o caminho em direção ao local. Chegando lá, Mulder e Scully entram enquanto Skinner fica do lado de fora. Os agentes encontram a sala repleta de videotapes, incluindo alguns que datavam antes de 1960. Scully encontra a fita da menina poucos dias antes de desaparecer. O “Papai Noel” os encontra e tranca a porta, prendendo Mulder e Scully dentro, e sai correndo. Mulder tenta arrombar a porta, mas Skinner nota a movimentação do homem tentando fugir e corre atrás dele. Ele saca sua arma e faz com que ele pare. Mulder e Scully conseguem sair e encontram Skinner e o homem no meio da floresta. Os agentes se surpreendem com alguma coisa. A câmera se distancia aos poucos, quando se nota uma área cheia de sepulturas.


Continua no próximo episódio...

 

 

DEPOIMENTOS


- Os depoimentos abaixo são do livro "all things: Official Season 7 Episode Guide", de Marc Shapiro:


Chris Carter: "A expectativa era que, se essa fosse a última temporada, que o final seria sobre a irmã de Mulder. Queríamos lidar com isso agora em vez de ser depois. Queríamos concluir a história emocional de Mulder com sua irmã e fazer de uma forma que enfatizasse as habilidades dramáticas de David."

Frank Spotnitz: "Foi similar ao episódio 'Paper Hearts' no sentido de que o que você sempre pensou que pudesse ter acontecido com Samantha pode não ter realmente acontecido. 'Paper Hearts' não chegou a responder esta questão. Tivemos pessoas que chegaram a nós e disseram, 'Ok, então sabemos que ela está mesmo morta, então o que aconteceu?' Então decidimos responder isto neste episódio."

John Shiban: "Criamos uma foto de mentira e uma nota de resgate para uma cena. Um membro da equipe foi designado para levar isso até uma de nossas locações. No caminho, ele parou numa cabine telefônica e fez uma ligação. Quando ele saiu da cabine, ele deixou lá a pasta com a foto e a nota. O que ele não percebeu foi que alguém deve tê-lo visto de alguma casa perto dali, achou aquilo suspeito, e chamou a polícia. Ele percebeu que tinha esquecido a pasta e voltou para pegar. Enquanto isso, a polícia apareceu, olhou a pasta e encontrou a nota, que dizia 'Não faça nada ou mataremos seu bebê.' Quando ele chegou no local, foi preso. Foi preciso muitas explicações para tirá-lo daquela confusão."