7x11: "CLOSURE" (LIBERTAÇÃO - PARTE 2)


O episódio começa com cenas do episódio anterior, e em seguida estamos de volta ao "Santa's North Pole Village," onde vemos Mulder ordenando outros agentes a retirar todos os corpos das covas para que eles sejam identificados. Os corpos começam a ser retirados, um por um... cenas parecidas como as de um sonho começam. É como se as crianças ainda estivessem dormindo. Mulder dá início a uma narrativa que acompanha as cenas chocantes:


“Eles disseram que os pássaros se recusaram a cantar, sendo assim a temperatura caiu de repente, foi como se o próprio Deus tivesse sua respiração roubada, pois ninguém está lá para gritar, nem com vergonha ou tristeza. Os corpos foram sendo descobertos, um por um, e com isso não só os olhos dos mortos estavam fechados, como se esperando a permissão para que os pudessem abrir. Eles ainda estavam sonhando com sorvetes e barras de chocolate? Com um bolo de aniversário que não reserva um futuro? Ou a inocência que havia sido brutalmente levada junto de suas vidas que abandonaram seus corpos inocentes, enterrados há muito tempo na terra fria? Todas as linhas do destino parecem muito cruéis, até mesmo para as coisas que Deus permita acontecer. Ou é o trágico nascimento de um jovem quando o mundo não está olhando? Eu quero acreditar... por tão mal que a verdade possa ser... nossos olhos são escondidos e ofuscados de tudo isso, menos dos olhares mais sensíveis. Mesmo assim podemos ver a verdade de Deus, de que o que nasce ainda vive.”


Após a narração, o dia vira noite e os agentes desaparecem. Das sepulturas, fantasmas emergem e formam um círculo, dando as mãos. A câmera vira para o céu escuro e limpo, sem estrelas.


Em uma sala especial do Departamento de Policia de Sacramento, Scully entra e encontra alguns agentes: entre eles está Mulder, analisando alguns papéis. Ele diz que Ed Truelove confessou 24 assassinatos, menos o de Amber Lynn LaPierre. Mulder também diz que Ed diz estar cometendo os crimes desde os 19 anos. Também foi a primeira vez que lhe pediram para caracterizar o Papai Noel. O relatório preliminar confirma que Amber Lynn não estava entre os corpos encontrados. Mulder esperava encontrar o corpo de Samantha em uma das sepulturas. Um agente entra e interrompe dizendo que um tal de Harold Piller quer vê-los.


Harold Piller é um psíquico e está acompanhando o caso. Ele então traz mais alguns detalhes para os agentes. Piller já trabalhou antes com a policia e teve visões de acidentes antes deles acontecerem. Ele descreve uma visão que teve sobre um acidente de trem onde 7 crianças morreram, mas os seus corpos não foram encontrados. Segundo ele, foram levados por uma entidade espiritual, os “ambulantes”. Scully acha que ele está brincando e recusa a sua participação no caso, já que Mulder está vulnerável com tudo o que está acontecendo. Piller continua e diz que os corpos foram transportados através de uma “luz estelar”. Scully puxa Mulder de lado e pede para que ele pare o mais rápido possível. O parceiro questiona alegando o fato de que Amber Lynn precisa ser encontrada. Scully não acredita em Piller. Mulder diz que Kathy Lee Tencate disse as mesmas coisas sobre a “luz estelar” que levou o seu filho. Segundo a agente, Kathy diz isso porque não poderá ser contestada enquanto o corpo não for encontrado, e é o que Piller está tentando fazer, dando uma explicação confortante, afirmando que todos podem viver, mas que os corpos ainda estão enterrados em algum lugar. Mulder discorda e diz que talvez eles possam estar em um outro local.


Scully volta para Washington, pois acha que não tem mais nada a fazer na Califórnia. Mulder leva Piller até o local onde os corpos foram encontrados e pergunta há quanto tempo ele trabalha com a polícia. Piller conta que seu filho desapareceu em meio a circunstâncias estranhas e nunca mais foi encontrado. Foi depois disso que começou a ter visões de fantasmas. Piller acredita que os “ambulantes” são espíritos bons que salvam as almas das crianças de algum destino ruim antes de acontecer e as transformam em energia. Em todos os casos, os pais alegam ver uma imagem de seus filhos mortos. Ele também acha que as vítimas de Ed Truelove morreram enquanto sofriam. Ele diz que Amber Lynn realmente não esteve ali, mas sente uma forte conexão entre ela e Mulder. Ele também sabe sobre o desaparecimento de Samantha e diz que pode haver uma ligação entre ela e Amber Lynn, só não sabe como.


No Quartel General do FBI, Scully está assistindo à fita da regressão de Mulder feita em 16 de junho de 1989, onde ele relata a noite em que sua irmã desapareceu. Scully está assistindo com um outro agente, que diz que a fita tem todos os detalhes necessários para que seja legítima, mas acredita que tudo pode ser apenas uma fantasia compensatória para a culpa de Mulder, impedindo que ele se recordasse do que realmente aconteceu em 1973, e jogando uma ilusão em seu consciente fazendo com que ele a procure, pois acredita que ela ainda possa estar viva. Scully então pergunta o porquê de uma abdução alienígena. O agente diz que talvez ele já viesse colecionando muitas idéias em sua cabeça, até que achou os Arquivos X, onde pôde apóia-las.


O agente diz a Scully que o que pode realmente ter acontecido naquela noite foi um seqüestro. Logo após Samantha pode ter sido assassinada e ter seu corpo escondido. Scully então se interessa pela teoria do agente e pergunta como ele chegou a esta conclusão. Ele diz que leu o arquivo de Samantha e que a busca por ela estava intensa, abrangendo os Departamentos do Governo - isso devido à posição do seu pai, que trabalhava para o Departamento de Estado, mas mesmo com tantos recursos, ela não foi encontrada. Ele então aconselha que deixe a ferida de Mulder cicatrizar, pois reabrí-la seria muito doloroso.


É madrugada, e Mulder está em um quarto de hotel assistindo ao “Planeta dos Macacos”, onde os personagens discutem as conseqüências de uma busca. Alguém bate na porta: é Piller que acorda Mulder dizendo que o fantasma de sua mãe, Teena Mulder, está em seu quarto. Ele pede para que Mulder leve caneta e papel. Piller diz estar vendo o fantasma dela e que está falando sobre sua irmã. De repente, Piller perde a visão e pede para deixar o quarto dele. Ao mesmo tempo diz as palavras “April Base”, que Mulder inconscientemente tinha anotado no papel.


Scully está na casa de Teena Mulder e verifica a cesta de lixo onde ela estava queimando papéis e fotos antes de morrer. Dentro Scully encontra um pedaço de papel; na verdade uma cópia de documento que comprovava o fim das investigações sobre o desaparecimento de Samantha. Este documento tinha uma rubrica, C.G.B.S. (C.G.B. Spender). Imediatamente, Scully liga para Mulder, que está a caminho da base com Harold Piller. A agente fala sobre o documento que encontrou, indicando o envolvimento do Canceroso. Mulder nega dizendo que o Canceroso não está envolvido e que isso não é de nenhuma ajuda no momento. Algum tempo depois, Mulder e Piller chegam à base e logo são barrados por um militar que está na guarda. Ele pede para que vão embora.


Scully chega em casa e encontra o Canceroso esperando por ela. Ele diz não estar bem, que se operou recentemente e pede para que Mulder pare de procurar Samantha, porque ninguém vai encontrá-la - isso porque acredita que ela já esteja morta. Scully se exalta e diz que ele assinou uma ordem para que as investigações fossem canceladas. O fumante reconhece. Scully pergunta o porquê de não dizer isso antes para que evitasse todos os transtornos. O Canceroso responde dizendo que tentou zelar pela segurança de Mulder para que não sofresse, mas isso não adianta mais, agora que tudo está desmoronando. Scully não acredita como o Canceroso teve coragem de deixá-lo sofrer. O Canceroso vai embora com uma fisionomia de tristeza. Mulder e Piller voltam a base e pulam as cercas e se dirigem para uma pequena vila militar. Piller logo sente que Samantha já esteve no lugar. Alguns soldados estão fazendo uma ronda na base, e os dois então se escondem. Mulder acaba encontrando o nome e as marcas das mãos de Samantha em uma calçada de cimento. Ele observa um detalhe que também lhe chama a atenção: ao lado das impressões de sua irmã estão as de Jeffrey Spender, o filho do Canceroso.


Scully liga novamente para Mulder. Ele diz que ela estava com a razão, pois o fumante estava definitivamente envolvido e que Samantha havia sido criada junto com Jeffrey naquela base. Scully diz que o Canceroso veio falar com ela e disse que Samantha está morta. Mulder não acredita no que ele disse e acha que mais uma vez o Canceroso está mentindo. Scully não vê motivos para que ele esteja mentindo agora e diz que a fere estar dando esta notícia. Mulder se levanta desolado e começa a gritar e levantar os braços. Ele não consegue aceitar a notícia, já que viu as impressões de Samantha na calçada. Ele considera aquilo como uma prova de que ela está viva. Mulder diz que Piller os conduziu até a base. Scully levanta a voz e diz que não acredita em Piller. Scully volta à Califórnia e junto de Mulder decide conversar novamente com Piller. Mulder o questiona dizendo não ter sido informado sobre a investigação de seu filho se tratar de uma investigação criminal onde ele é quem está sendo indiciado. Ele tenta rebater dizendo que o seu filho foi levado dele e que a justiça precisa culpar alguém. Scully diz que ele também é esquizofrênico. Piller diz que Mulder não o teria escutado se tivesse contado isso, pois só deseja encontrar o seu filho.


Mulder, Scully e Piller estão na Base e na casa onde aparentemente Samantha viveu. Piller pede que eles se dêem as mãos para ser possível invocar os espíritos residentes. De repente aparecem fantasmas ao redor deles. Mulder abre os olhos e consegue ver um garotinho que estende sua mão e conduz o agente até um quarto. Scully não nota que Mulder deixou o local. Em uma estante, Mulder encontra um livro, ele abre... é o diário de Samantha. Neste momento Scully e Piller estão juntos de Mulder. No restaurante do hotel, Mulder e Scully estão lendo o diário que data de 1979: Samantha estava com 14 anos e relata os horríveis testes na qual passou e que mente para todos, a fim de que eles escutem o que realmente querem.


Nas últimas linhas, Samantha diz que os médicos levaram suas recordações, mas não todas, pois ainda se lembra de ter tido um irmão com cabelos escuros, mas é só isso que consegue recordar. Mesmo assim espera que algum dia ele leia tudo o que tinha escrito. Samantha também diz no diário que pretende fugir. Enquanto Mulder e Scully lêem o sincero e dramático texto escrito por Samantha em letras arredondadas que demonstram as dificuldades pela qual passou, os agentes quase estão em lágrimas, principalmente Mulder, que é confortado por Scully, que aperta firme sua mão. Do lado de fora do restaurante, Mulder olha para o céu e fica imaginando como os “ambulantes” levaram as crianças e que talvez a luz seja realmente estelar e composta de almas velhas, porque não há nada tão antigo quanto o universo. Scully sugere que ele durma um pouco. Mesmo triste ele dá um sorriso em sinal de afeto. Já no hotel, Mulder está dormindo, quando o fantasma de sua mãe aparece e começa a sussurrar algumas palavras no ouvido dele.


Na manhã seguinte, Scully entra no quarto de Mulder com um papel. É o relatório que ela encontrou, de um sargento de 1979. O relatório é sobre uma menina, que tem exatamente a descrição de Samantha. São 4:08 da tarde, e os agentes vão para o “Dominic Savio Memorial Hospital”, e vasculham os arquivos até que encontram uma ficha médica que Mulder acredita ser de Samantha, mesmo não tendo nenhum nome, apenas um apelido: “Jane Doe”. Segundo o relatório médico, a menina que tinha dado entrada naquele hospital foi diagnosticada como esquizofrênica e paranóica, não deu o seu nome para ninguém e nem deixou que a tocassem. A conclusão era incompleta e sem nome de médicos responsáveis, a não ser o de uma enfermeira que cuidou dela.


Em VictorVille, Mulder, Scully e Piller chegam a uma casa de enfermeiras. Mulder finalmente tem a sensação de que aquele é o fim da linha e que foi trazido ali para descobrir o que realmente aconteceu com sua irmã. Mulder pede para que Scully e Piller vão conversar com a enfermeira sem ele. A enfermeira se chama Arbutus Ray e conta para Scully e Piller que se lembra da menina, e diz que, quando foi cuidar dela, teve a visão de tê-la visto morta, mas quando piscou os olhos ela estava lá dormindo. Ela diz que ninguém acreditou nela. Homens vieram apanhá-la, junto com um que parecia ser o pai dela (o Canceroso). Algum tempo depois ela havia sumido do quarto. Scully e Piller vão procurar Mulder para contar sobre a conversa, mas ele sumiu.


O mesmo espírito do menino, o filho de Piller, conduz Mulder a um campo onde outros espíritos de crianças estão brincando. A cena está bem iluminada como se todos fossem formados pela “luz estelar.” Amber Lynn está lá. No meio dos fantasmas das crianças, um rosto familiar: é Samantha, aparentando ter 14 anos... ela corre em direção ao irmão e o abraça com um olhar de muita alegria. Mulder sai de trás de uma árvore e encontra Piller e Scully, que pergunta onde ele estava indo. Mulder responde que para o fim da estrada e também diz a Piller que viu o seu filho... morto em um lugar muito bonito onde a sua irmã também está. Piller não acredita e diz que seu filho está vivo e que vai encontrá-lo. Mulder insiste que estão todos em um lugar melhor e assiste Harold Piller deixar o local. Scully pergunta: “Você está bem, Mulder?”. Mulder olha para ela e responde: “Estou bem. Estou livre.” Em seguida, olha para o céu escuro na noite com um pequeno sorriso... Agora ele pode finalmente seguir sua vida.

 

 

Comentários

Uma curiosidade: este é o episódio de número 150 de Arquivo X a ser exibido.

- O título deste episódio seria "Sein Und Zeit: Aliatope" mas este foi esquecido pelos produtores. O título "Sein Und Zeit: 74" também foi sondado.

Este episódio tem uma frase diferente na abertura: "Believe to Understand" ("acredite para entender").

- Os depoimentos abaixo são do livro "all things: Official Season 7 Episode Guide", de Marc Shapiro:

Frank Spotnitz: "Acho que David cresceu e se cansou de ser o homem que tinha perdido sua irmãzinha. Então quando chegou a hora de filmarmos 'Closure', eu disse a ele, 'Esta será a última vez que você vai ter que fazer isso.'"

Paul Rabwin: "Foram sete anos. Eu não acho que algum de nós vá sentir saudades de Samantha Mulder. Aquele artifício e a motivação foram muito fortes durante os antigos anos da série. Mas enquanto o tempo passou, a especulação foi se esvaindo."

Chris Carter: "Emocionalmente foi pesado para todo mundo, mas foi necessário. Estes episódios envolveram dois casos muito pessoais, a procura por um assassino serial e a procura pela irmã de Mulder."

Frank Spotnitz: "Só porque Samantha foi levada para a luz das estrelas não significa que necessariamente não a vejamos mais. Não significa que não haja clones dela por aí e que amostras de tecido não tenham sido levadas."