7x20: "FIGHT CLUB" (LUTA DE GÊMEOS)


Duas testemunhas de Jeová batem na porta de Betty Templeton. Ela diz que acabou de se mudar e os dispensa. Os homens vão para outra casa. A mulher que abre a porta, Lulu Phifer, é igual a Betty. Eles dizem isso a ela, que também os manda irem embora. De repente, os homens começam a brigar um com o outro. Dois policiais aparecem e tentam separá-los, mas eles tiram os policiais de seu caminho.


Em Kansas City, um homem e uma mulher que parecem ser Mulder e Scully (com as vozes de David e Gillian) vão até a casa de Betty. Eles contam que os homens no carro bateram um no outro até quase se matarem, e que disseram que ela sabia algo sobre o ocorrido. Quando a câmera mostra o rosto dos agentes, nós podemos ver que eles não são Mulder e Scully, e sim dois agentes que se parecem muito com os dois (são os dublês de David e Gillian, Steve Kiziak e Arlene Pileggi).


Lulu surge dirigindo um carro azul e, de repente, os agentes começam a se enfrentar. A mulher que se parece com Scully corre para o carro, entra e sai dirigindo. O homem que se parece com Mulder corre atrás do carro e se agarra na janela. Depois de percorrer alguns metros, o carro bate em uma árvore.


Mulder (o real) mostra para Scully (a real) slides dos dois agentes no escritório. Ele diz a ela frases que imagina que ela vai dizer. Afirma que a coisa mais estranha é que os dois vinham trabalhando juntos por sete anos sem qualquer incidente, e pede que ela tente adivinhar sobre o caso. Scully diz frases que normalmente ele diria. Ela descobre que os agentes estavam investigando alguma coisa similar ao que eles próprios quase morreram por investigar. Mulder ainda brinca com a parceira: “Não vá pensando que eu vou começar a fazer autópsias.”


No centro de Kansas City, Lulu, vestida de azul, estaciona na frente da loja de cópias Koko para se habilitar para um trabalho. O gerente pergunta a ela sobre o seu currículo. Ela conta que teve dezessete diferentes trabalhos dos quais desistiu, e continuou se mudando de um lugar para outro, mas afirma a ele que está lá para ficar. Neste momento, aparece Betty, vestida de rosa, em um carro vermelho. Todas as máquinas copiadoras começam a apresentar problemas. O gerente diz a Lulu que ela conseguiu o trabalho. Betty entra e Lulu vai embora. Mais tarde, na gráfica, um outro gerente pergunta a Betty sobre os seus dezessete trabalhos anteriores. Ela trabalhou nos mesmos empregos que Lulu, no passado. O gerente quer saber como ele pode ter certeza de que ela não vai desistir deste emprego. Ela responde que ele tem a sua palavra.


No Porcherie Hotel, à noite, Bert Zupaneck está sentado em seu quarto contando o dinheiro guardado em uma valise. Mulder e Scully chegam e ele esconde o dinheiro. Os agentes perguntam se ele sabe alguma coisa sobre Betty, e recebem uma resposta negativa. Mostram a foto em que ele está com ela (na verdade é Lulu). Scully explica que Betty sumiu e que eles não conseguem achá-la. Bert diz que ela morava em Morton Bay, numa casa rosa. Scully diz que era em Alderwood, numa casa azul.


No corredor, Scully diz que Mulder acha que Zupaneck sabe onde Betty está, assim como o que Betty está escondendo, e que ela deveria ir checar a casa de Morton Bay que ele mencionou, enquanto ele descobre o que Zupaneck está escondendo. Mulder confirma que acha que Zupaneck sabe sobre Betty. Scully entra no elevador, e fala: “Bem, eu acho que é por isso que eles colocaram o 'I' no 'FBI.” O agente fica para trás e vê Zupaneck saindo. Zupaneck vai até o Froggy’s Bar para beber. Ele vê Betty e senta ao lado dela, achando que é Lulu, mas logo percebe que é outra pessoa. Lulu entra, tudo começa a tremer e então todos os vidros se quebram e começam a voar para todo lugar. Lulu vê Betty quando ela sai com Zupaneck.


Scully entra no Auditório Pat Devine de Kansas City para se encontrar com Mulder. Ele está sentado em uma das cadeiras conversando com um homem, Saperstein, que é apresentado a ela. Saperstein conhece a mulher que eles estão procurando, e diz que ela estará na luta, dois dias depois, com Zupaneck (Titanic), que estará lutando. “Lulu é o amuleto da sorte dele.” – o homem diz. Scully pergunta se eles devem apenas esperar por ela. Mulder, brincando, lista algumas coisas que eles poderia fazer enquanto estão esperando, a menos que ela tenha encontrado Betty. A agente fala que encontrar Betty não vai adiantar nada, a não ser que eles também achem Lulu. Mulder pergunta quem é Lulu, e ela diz a ele que ela vivia, até o dia anterior, em Morton Bay Street, numa casa rosa. Parece não haver nenhuma conexão entre as duas mulheres, exceto que Betty e Lulu viajaram dezessete estados, uma seguindo a outra pelos últimos doze anos. Onde quer que elas tenham estado, a destruição as seguiu. Não apenas acidentes de carros, mas também explosões, incêndios etc.


Quando Mulder e Scully saem, Saperstein liga para Zupaneck e diz a ele que precisa do dinheiro. Zupaneck, que está na cama com Betty, compromete-se a levar o valor para ele. O promotor diz que irá almoçar no Froggy’s, e que se não tiver dinheiro, não haverá luta. Betty percebe que irá se atrasar para o trabalho, e então sai da cama. Enquanto ela está no banheiro, Lulu entra, gritando com Zupaneck porque eles deveriam se encontrar no bar na noite anterior, e ela acha que ele a está traindo. Lulu encontra um grampo com Betty Boop ao lado da cama, e o reconhece como sendo seu. Depois que ela se acalma, vai embora. Tão logo ela faz isso, Betty sai do banheiro, vestida, e diz que escutou vozes. Ele assegura que não foi nada. Então, tiros são dados através do teto, partindo do apartamento de cima.


Saperstein está no bar esperando pelo dinheiro. Betty aparece e ele pergunta onde Titanic está, dizendo que eles deveriam se encontrar lá. Ela está surpresa e fala que estava ali para almoçar, indo até o banheiro. Zupaneck entra com uma bolsa. Saperstein diz a ele que tinha acabado de conversar com sua namorada.


De repente, o salão começa a tremer como antes, e então o tremor pára de repente. Lulu entra. Saperstein pergunta como ela saiu do banheiro para a porta. Zupaneck diz a Lulu que ele tem um encontro de negócios e a convida para fazerem um piquenique depois, lá fora. Ela sai. Zupaneck começa a conversar com Saperstein, quando Betty sai do banheiro e o vê. As coisas começam a tremer novamente. Ele fala que está em reunião. Saperstein diz que ele tem mais que isso para comparecer, quando Lulu volta o procurando. As duas mulheres vêem uma à outra e tudo começa a tremer novamente. Tudo se quebra enquanto as pessoas tentam sair do caminho. Betty vai embora.


Zupaneck está no chão inconsciente. Saperstein pega sua mala e sai. Mulder e Scully chegam no bar. Zupaneck acorda. Ele percebe que está sem o dinheiro. Mulder quer saber se ele perdeu alguma coisa, e ele responde que perdeu sua boa sorte. Scully pergunta se essa “boa sorte” seria Betty ou Lulu. Ele explica que as duas causaram os problemas, e que farão isto novamente se não as encontrarem. Scully então pergunta a ele onde elas estão.


Mulder vai até a gráfica Koko, onde Betty está. Ela diz que foi tudo culpa de Lulu, que a segue por todo lugar e causa os problemas. Afirma que desta vez as coisas vão parar porque ela vai ficar no Kansas. Eles caminham para fora da loja juntos. Mulder chama Scully no telefone. Lulu deu a ela a mesma história. Scully está agora na gráfica e está observando Lulu, que sai dirigindo. Betty entra em um carro vermelho enquanto Mulder e Scully conversam. Scully hipotetiza que elas estão psicologicamente ligadas, que têm alguma espécie de ligação psíquica. Mulder vê um carro azul e pergunta onde Lulu está. Scully diz que ela acabou de sair. Mulder pergunta se ela estava dirigindo um pequeno conversível azul, quando Lulu estaciona na sua frente. A tampa do bueiro se abre. Mulder é sugado pela rua para dentro do buraco. As duas mulheres se afastam dirigindo e a tampa do bueiro volta ao lugar. Scully sai do carro e procura por Mulder. Ela não consegue encontrá-lo em lugar algum. Vai até a gráfica Koko. O gerente diz que Mulder esteve lá, mas não sabe para onde ele foi. Scully pensa em alguma coisa e pergunta se ele tem acesso à Internet. Ele mostra a ela onde ir.


Scully visita um homem na prisão. Apresenta-se, mas ele não quer falar. Ela diz que ele tem duas filhas. Scully usou documentos do banco de esperma, e localizou as mulheres que engravidaram dele a partir das suas doações. Ela quer saber sobre a árvore genealógica dele. Ele conta que um cachorro levantou a perna e fez xixi na árvore da família dele.


Betty está chateada porque o namorado não está atendendo as suas ligações. Ele confessa que está com problemas e fala sobre o dinheiro que deve a Saperstein. Ela promete que vai achar um jeito de ajudá-lo. Quando ela sai, Lulu entra, sentindo raiva por causa das chamadas. Ele conta a mesma história que contou para Betty. Enquanto isso, Betty entra escondida na gráfica e reproduz algumas notas na copiadora. Mulder finalmente encontra o caminho para fora do esgoto.
Mulder chama Scully, que ainda está na penitenciária da cidade. Ele quer saber o que aconteceu com as mulheres. Ela diz que ainda não sabe, mas que encontrou a conexão – ambas têm o mesmo pai, que agora é um homem muito nervoso. Ele rebate que as mulheres vão em breve ficar nervosas também, assim que descobrirem que estão apaixonadas pelo mesmo homem. Scully afirma que nada explica o que está acontecendo ou como eles podem parar com isto. Ele diz que os dois têm que chegar na luta para manterem as duas distantes. Alguém surge atrás de Scully, e a cumprimenta. Ela se vira. O homem é muito parecido com Zupaneck.


No palco da luta, Saperstein cobra seu dinheiro de Zupaneck. Este diz que o dinheiro está lá. Betty aparece com uma mala cheia com o dinheiro falso e a entrega a Saperstein. Os homens começam a lutar. Mulder entra no auditório e pede a Betty para vir com ele. Ela se nega, porque está vendo a luta. Ele diz que tem que tirá-la de lá. Lulu vem por trás de Mulder, e pergunta o que Betty está fazendo lá. Betty lhe devolve a mesma pergunta. Elas descobrem estarem atraídas por Bert e vão uma na direção da outra. Mulder segura Betty para separá-las. Betty tenta então falar com Bert. Lulu aparece no outro lado e diz que trouxe o dinheiro. Saperstein o tira dela antes que Zupaneck possa fazer qualquer coisa. A luta começa na platéia. Mulder leva Betty para mais longe, e pára quando vê o sósia de Zupaneck chegando com Scully. Betty e Lulu o vêem também. Todo mundo pára de lutar. Zupaneck e seu sósia vêem um ao outro. O sósia se solta do homem que o está segurando e vai atrás de Zupaneck. A luta começa novamente em toda parte.


Mulder, Scully e Saperstein estão no escritório olhando slides. Bert Zupaneck e seu sósia não eram filhos do mesmo pai. Scully está contando para Mulder e Saperstein que os sósias têm as mesmas atitudes idiossincráticas (comportamentos inerentes a cada indivíduo), e que existe uma chance em vinte sete milhões de que os sósias se encontrem alguma vez – mas ali eles se encontraram. As duas mulheres se encontraram pela primeira vez há doze anos atrás, e pareciam não conseguir evitar mais seus maneirismos, que foram atribuídos a seu raivoso pai. Saperstein pergunta o que tudo isso significa. Scully afirma que gostaria de dizer que tudo isto tem a ver com o balanço das energias do universo – a atração dos opostos e a repulsão dos equivalentes, que só de tempos em tempos a natureza pode produzir cópias iguais e que quando duas cópias se encontram, ninguém pode dizer o que vai acontecer.


Quando a câmera gira para mostrar o rosto de Scully, vemos que ele está todo machucado, com pontos por toda parte. Ela diz que, se quatro sósias podem se encontrar, é melhor evitar isto a todo custo, e que Mulder certamente concordará. A câmera fecha em Mulder, mostrando que ele também está cheio de pontos. Seu maxilar está quebrado e sua boca fechada.

 

COMENTÁRIOS


- O diretor deste episódio é Paul Shapiro, que já trabalhou na série Millennium. O episódio foi escrito pelo próprio Chris Carter.


- Os depoimentos abaixo são do livro "all things: Official Season 7 Episode Guide", de Marc Shapiro:


Frank Spotnitz: "As pessoas ficaram bem estranhas durante o final do ano. Não sabíamos o que estava acontecendo. Estávamos todos estressados sobre se seria o final da série ou não. Estava chegando no final da temporada e todo mundo estava meio abatido."

Chris Carter: "Eu tinha essa idéia há muito tempo de fazer uma história sobre gêmeos separados que tinha uma reação quase que nuclear quando estavam um perto do outro."

Chris Carter escreveu o roteiro ao mesmo tempo em que estava preparando o episódio-piloto da série dos Pistoleiros Solitários.

Frank Spotnitz [sobre sua primeira olhada no roteiro]: "Tinha um tom diferente. Parecia um episódio selvagem."

FATO: Na pós-produção, David e Gillian dublaram as vozes dos Agentes Que Parecem Com Mulder e Scully.