7x22: "REQUIEM"


Em Bellefleur, Oregon, um carro de polícia guiado pelo detetive Miles (visto anteriormente no episódio-piloto) corre por uma rodovia. Ele fala no rádio com um oficial que está esperando por apoio, mas o carro de Miles perde força e pára na pista, recebendo subitamente o impacto de outro carro que vem da escuridão. A floresta é iluminada por uma claridade brilhante. O relógio de Miles gira descontrolado. O oficial no outro carro está morto e há ácido verde no chão. Quando Miles sai do carro, outro oficial, com a aparência igual ao do morto, está lá de pé, calado.


Um auditor está no escritório dos Arquivos X, questionando os agentes a respeito dos gastos considerados excessivos que eles tiveram em suas investigações ao longo dos anos. Mulder brinca, dizendo que, para economizarem, ele e Scully poderiam começar a dividir quartos de hotel. Ele afirma ao auditor que os motivos principais de sua busca, a abdução de sua irmã e a conspiração governamental, não foram totalmente resolvidos.


Num dos pavilhões de uma colônia penal na Tunísia, Marita Covarrubias liberta Alex Krycek. De volta ao escritório dos Arquivos X, o auditor agora questiona Scully, que afirma ter visto muitas coisas que não pode explicar. Ela não diz que não acredita, mas não chega a afirmar o contrário. Na Tunísia, Krycek toma um banho enquanto Marita o observa. Ela diz que foi mandada lá pelo Canceroso, que está morrendo.


Mulder entra na sala do porão. Short, o auditor, ainda está lá. Ele está preenchendo seu relatório e precisa terminar de perguntar algumas coisas. Mulder estranha a insistência, e Short afirma que a posição de agente federal exige certas responsabilidades, além de que, segundo ele, as investigações que custam tanto aos cofres do governo poderiam ser facilmente realizadas dentro de um escritório, por meio da Internet. Mulder discorda, mas o auditor conclui a conversa, dizendo que ele deveria restringir suas buscas.


Em Bellefleur, dois garotos vão até a floresta, apenas para se encontrarem com o detetive Miles. Eles ouviram que um caça militar colidiu com um disco voador. Miles conta que o avião foi encontrado a três milhas de distância de onde eles estão, mas que não há nenhuma evidência de outra aeronave envolvida no acidente. O detetive os manda para casa.


No escritório do porão, Mulder e Scully conversam sobre a auditoria a que estão sendo submetidos. O agente está preocupado, mas Scully o tranqüiliza, lembrando das tantas vezes que já tentaram derrubá-los no Bureau. Billy Miles liga para eles, que se lembram do nome dele imediatamente. As abduções estão acontecendo de novo, mas outras pessoas estão envolvidas. O pai de Billy chega em casa, e então ele desliga o telefone. Mulder e Scully resolvem “ir gastar mais algum dinheiro” investigando o caso.


Num dos apartamentos do edifício Watergate, em Washington, Marita leva Krycek para ver o Canceroso. Ele está numa cadeira de rodas e quer que Krycek vá encontrar a espaçonave, para que possam reconstruir o projeto.


Os dois garotos, Gary e Richie, vão até a floresta onde o xerife estava. Um deles esbarra num campo de energia. Ele fica preso no ar e seu corpo começa a se movimentar violentamente. Richie chama por seu amigo, mas não consegue encontrá-lo. De repente, sua lanterna se torna vermelha e quente. Ele larga o objeto e sai correndo.


Mulder e Scully se encontram com Billy Miles, que agora é o xerife do local, e está divorciado. Ele conta sobre o incidente e sobre o oficial que está desaparecido. O detetive Miles estaciona o carro próximo a eles e conversa com os agentes. Mulder revela que estão lá por causa do acidente com o provável disco voador. Miles retruca que não há nenhum acidente.


Os quatro estão na estrada, quando param e observam o “X” que Mulder desenhou com tinta rosada no asfalto há sete anos. Seguem as marcas da derrapagem do carro do detetive Miles. Mulder agacha-se para observar alguma coisa no chão: um pedaço da estrada que foi corroído. Scully descobre que o oficial atirou três vezes em alguma coisa. O detetive pergunta no que ele teria atirado, e Mulder responde que, provavelmente, em nada. Nada é o que eles parecem encontrar lá.


Depois que os agentes vão embora, Miles diz a Billy para entrar no carro. Ele então dá a volta no mesmo e abre o porta-malas. Dentro, está o corpo do verdadeiro detetive Miles, que foi afetado por toxinas.


Mulder e Scully vão até a casa do policial desaparecido para conversar com sua esposa, que é Teresa Nemman (que também apareceu no episódio-piloto). Ela relata que seu marido foi abduzido várias vezes, razão pela qual ela acha que os aliens o levaram novamente. Teresa entrega seu bebê nas mãos de Scully enquanto pega as fichas médicas que mostram os implantes do marido. Scully segura a criança, brinca com ela, enquanto Mulder os observa ternamente, com um olhar triste.


Já é noite. Mulder está sentado em sua cama, no quarto de hotel, olhando fotos de alguns dos abduzidos, quando Scully bate na porta, dizendo que não está se sentindo bem. De repente, ela fica tonta. Mulder a ajuda a se deitar em sua cama, embaixo das cobertas. Ele diz que ela deve voltar para casa. Ela afirma que vai ficar bem. O agente então se deita ao lado dela, envolvendo-a protetoramente com seu braço esquerdo, e sussurra no ouvido da parceira que o auditor estava certo, mas pela razão errada, já que o trabalho consome muito das vidas deles, e não meramente o dinheiro. Menciona o bebê de Teresa e o quanto ele sabe que isso é difícil para ela, dizendo finalmente que isto tem que acabar. Então, ele beija o rosto dela, carinhosamente, e os dois permanecem abraçados.


Krycek, que está em Oregon, fala com o Canceroso pelo telefone. Ele diz que Mulder e Scully também estão lá.


Teresa vai até a porta de sua casa, após ouvir batidas. Ela vê seu marido, mas sabe que não é ele. Sobe as escadas de casa e o atinge com uma faca quando ele tenta alcançá-la. Do corpo do homem é liberado um gás que a afeta.


Mulder e Scully encontram Billy novamente na casa de Teresa. Ele conta que ela está desaparecida e que provavelmente foi levada pelos aliens, já que a porta de sua casa estava aberta quando ele chegou lá. Do lado de dentro, Mulder encontra um ponto corroído no carpete feito por toxina biológica. Scully novamente fica tonta e Billy a ampara.


O Canceroso conversa com Marita, dizendo não confiar em Krycek, mas afirma saber que ele vai encontrar a nave espacial. Ele tem certeza de que a nave está lá em algum lugar, mas que não ficará lá para sempre, já que está se reconstruindo. Marita quer saber o que acontece quando encontrarem a nave, e o Canceroso responde que isto significa possuir a resposta para todas as perguntas possíveis e imagináveis. Segundo ele, Deus é um alienígena, e provavelmente os aliens estão retornando à Terra.


Richie confronta Billy dizendo que o detetive Miles sabe o que está acontecendo, já que ele foi visto no local do incidente com a nave. Mulder e Scully vão até a floresta com Billy para verificarem o que ocorreu. O garoto os conduz até o local onde a lanterna se incendiou. Scully encontra o campo de energia, e fica presa nele por alguns instantes, tremendo violentamente. Ao retornar ao chão, ela fica tonta mais uma vez. Mulder sai à sua procura e a encontra. Ela pergunta o que aconteceu. Ele não sabe, e fala que as pessoas estão não só sendo sistematicamente abduzidas, como também não estão mais retornando.


Depois que os agentes vão embora, Billy vai até sua casa e aponta a arma para o pai, ameaçando-o. O pai pergunta se ele teria coragem de atirar. Billy quer saber se, ele realmente é seu pai, por que não acredita no que ele diz. O pai responde que só quer que tudo isto acabem, coagindo o filho a baixar a arma. Billy se senta e chora. Miles escuta alguma coisa do lado de fora. Transforma-se no caçador de alienígenas, virando-se para a janela e vendo que Mulder e Scully estão chegando. Quando os dois entram na casa, todos sumiram.


Dois dias depois, Mulder está sentado em seu escritório brincando com a bola de basquete quando Skinner entra. Mulder diz que sente muito se ele está tendo problemas por causa da viagem que ele e Scully fizeram. Skinner responde que por sorte eles acham que ele prestou uma contribuição ao bureau. Krycek e Marita entram na sala. Mulder parte na direção de Krycek, mas Skinner o detém, pedindo que ele ouça o que Krycek tem a dizer. Marita conta que o Canceroso está morrendo, e que seu último desejo é reconstruir, recriar o projeto. Krycek afirma que eles têm que encontrar a nave, a qual está protegida por um campo de energia, mas que está lá. Ele diz que os aliens estão logo embaixo do nariz deles, e que Mulder tem a chance de mudar isso. Scully entra na sala. Agora os Pistoleiros estão na sala também. Eles concordam que o campo de energia está bloqueando a visão da nave e por isto ninguém consegue encontrá-la. Scully sai da sala durante a conversa e Mulder a segue.


No corredor, Mulder diz a Scully que não vai permitir que ela volte a Oregon. Ele fala que os abduzidos estão sendo levados e não estão retornando, e afirma, emocionado, que não quer correr o risco de perdê-la. Eles trocam um abraço. Scully fala que não vai deixar que ele vá sozinho.


Mulder e Skinner chegam na floresta. Scully está olhando para as fichas médicas dos abduzidos e percebe que todos têm uma coisa em comum: apresentaram a mesma atividade cerebral intensa que vimos em Mulder no início da temporada. Ela percebe que o campo de energia não a prendeu porque ela não tinha a mesma capacidade. Não é ela que estava em perigo de desaparecer, e sim Mulder. Scully começa a desmaiar e os Pistoleiros a amparam.


Mulder e Skinner usam equipamentos de alta tecnologia para enxergar o campo de energia. Eles se separam. Mulder descobre onde o laser acaba. Ele tateia o ar com sua mão e é puxado rapidamente para o interior do campo de energia. Skinner olha ao redor e grita por Mulder, que já atravessou o campo até o outro lado. Skinner pode ser visto do outro lado olhando para ele. Mulder vê homens e mulheres de pé sob um raio de luz. Ele se aproxima. Billy, Teresa e Ray estão lá. Ele olha para cima e vê a nave os sobrevoando. O caçador de alienígenas aparece e se junta ao círculo. Mulder o encara por um instante. De repente, sob um intenso raio de luz, o grupo desaparece com a espaçonave. Embaixo do campo, Skinner vê o grande objeto voador desaparecendo, e percebe que Mulder foi levado.


Krycek e Marita vão visitar o Canceroso novamente. Krycek o conduz para fora. O Canceroso afirma que, o que quer que ele faça para Mulder e para ele, ele faz para toda a humanidade. Krycek o ignora e o joga escada abaixo. Então observamos seu corpo inerte e aparentemente morto.


Skinner vai visitar Scully no hospital, onde ela realiza alguns testes. Ele não quer revelar o que aconteceu, mas ela já sabe. Quase chorando, o Diretor Assistente confessa que não pode explicar o que viu, mas que também não pode negar, e sustenta que não vai fazer isso. Lágrimas estão rolando da face de Scully. Ela está feliz porque ele vai contar a verdade. Confiante, diz que eles vão encontrar Mulder, e ressalta: “Eu tenho que encontrá-lo”. Scully acrescenta que tem algo mais a contar, e pede segredo. Muito emocionada, chorando e sorrindo ao mesmo tempo, confidencia que não sabe de que maneira, nem sabe como acreditar nisso, mas ela está grávida.


Continua no próximo episódio...

 

COMENTÁRIOS

- Os depoimentos abaixo são do livro "all things: Official Season 7 Episode Guide", de Marc Shapiro:

Chris Carter: "Eu me lembro que eu me senti mal porque eu não podia ser claro e dar respostas firmes às pessoas sobre se voltaríamos ou não. Era tudo sobre David. Eu fiquei dizendo que não faria sem David. A Fox me pediu para que eu me comprometesse em fazer outra temporada com ou sem ele."

Paul Rabwin: "Enquanto a temporada progredia, nós sentíamos que estávamos nos energizando novamente. Começaram a dizer que talvez não fosse o final. A rede certamente nos queria de volta e Gillian ainda estava sob contrato para mais um ano. Enquanto chegávamos no final da temporada, todos estavam mais esperançosos."

John Shiban: "Se fosse mesmo o final, como nós gostaríamos que terminasse? Como Mulder e Scully terminariam emocionalmente? Como a conspiração e os alienígenas terminariam? Não sabíamos como era o status da série e então decidimos que o que quer que fizéssemos teria que se aplicar a uma conclusão da série ou um gancho para uma nova temporada."

Frank Spotnitz: "O primeiro pensamento que tivemos foi, que diabos iremos fazer? Estávamos cogitando várias idéias e finalmente a sugestão foi feita de voltarmos ao episódio-piloto. Nossa idéia era que se fosse mesmo o final, vamos voltar ao começo. Naquele ponto, só tínhamos uma idéia que era definitiva. Desde o começo da temporada, nós sabíamos que a gravidez de Scully seria uma grande idéia como um todo, uma maneira maravilhosa de terminar as coisas se aquilo fosse o final. Então tivemos que construir uma história que permitisse todas as possibilidades."

Nick Lea: "Eu não fiquei surpreso por terem me chamado de volta. Eu ficaria chocado se não me chamassem. Eles abriram o armário e estavam trazendo todos de volta, então por que não Krycek? Sempre foi assim. Ninguém sabe onde estou ou mesmo se estou vivo, e então eu simplesmente apareço."

Chris Carter: "Eu honestamente não sabia, mesmo durante as filmagens, se voltaríamos."

Mitch Pileggi: "Eu não sei como estava me sentindo na época. Eu estava meio em transe."

Gillian Anderson: "Tinha mais a ver com não saber se voltaríamos ou não para mais uma temporada e se uma nova temporada envolveria David."

Nick Lea: "Eu tinha uma cena incrível onde eu jogava o Canceroso pelas escadas. Acho que o roteiro esclarece o fato de que Krycek tem sua própria agenda. Assim que ele sai da prisão, sua única missão é ter certeza de que o Canceroso não irá mais respirar."

Bruce Harwood: "Foi realmente nossa aparição mais típica que tivemos naquela temporada. Basicamente nós aparecemos e usamos nossa informação supertecnológica para continuar a trama."

Chris Carter: "Eu não escrevi as duas últimas páginas até o dia em que elas seriam filmadas. Nós vínhamos conversando sobre essas duas páginas por um bom tempo, mas eu as segurei sem escrevê-las até o último minuto porque eu não queria criar alguma coisa que pudesse vazar e dar a alguém a oportunidade de ser revelada por brincadeira. Então eu chamei a produtora Michelle MacLaren e pedi a ela para ter certeza de agendar a cena final do hospital entre Skinner e Scully como sendo a última."

Frank Spotnitz: "Claramente a idéia da gravidez foi construída na estrutura da série mas nós não queríamos que ninguém soubesse até que tivessem que saber. Nós queríamos o elemento de surpresa. Nós sabíamos que a abdução de Mulder seria revelada, mas queríamos que a gravidez fosse uma surpresa. Chris finalmente escreveu o final, mostrou para mim, imprimiu uma cópia sem o último parágrafo, e mandou alguém até o Big Bear às dez da manhã do último dia de filmagem. Chris saiu às quatro da tarde com o último parágrafo e se dirigiu até o Big Bear."

Chris Carter: "Gillian disse que sabia. Ela achou que era uma grande idéia e que iria surpreender a todos."

Frank Spotnitz: "Ninguém sabia, quando começamos aquele episódio, que iríamos voltar. Ninguém sabia nem na festa de conclusão. Foi uma festa muito estranha. Nós todos estávamos falando, 'Este não pode ser o final porque não parece certo.' Não parecia que tínhamos concluído nada."