8x07: "VIA NEGATIVA"


Um homem está dormindo em um carro - ele é o agente do FBI Stedman, numa tocaia. Outro agente, Leeds, o acorda. A porta da frente da casa que ele estavam vigiando está aberta e as luzes lá dentro estão acesas. Eles vão verificar e encontram pegadas de sangue no corredor de entrada da casa. Na parte de cima da porta há a pintura de um olho. Os agentes encontram vários cadáveres num quarto. Leeds segue as pegadas mais à frente, e Stedman o ouve descarregar sua arma. Indo à sua ajuda, Stedman encontra Leeds morto com um ferimento na cabeça.

 

Na sua casa em Falls Church Virginia, o agente Doggett recebe uma ligação telefônica de Scully. Um agente do FBI foi morto mas Scully não pode ir por causa de circunstâncias inesperadas - ela não diz a Doggett que está numa sala de emergência com um médico. Doggett chega na cena do crime. Skinner informa Doggett que eles receberam uma dica que dizia que o culto estava negociando drogas. No carro do agente eles encontram o corpo de Leeds. Doggett acha que o crime aconteceu em outro lugar. A arma de Leeds ainda está no coldre e as chaves na ignição. Dentro da casa eles vêem os outros corpos, todos mortos com um único ferimento na testa, mas o líder do culto, Tipet, está desaparecido. Há desenhos do olho por toda a casa. O outro agente, Stedman, também desapareceu. Doggett diz saber que Stedman é de Pittsburgh mas possui um apartamento em Washington, DC, que pertence a seus pais. Eles vão até lá e encontram Stedman, morto com um ferimento na testa.

 

Doggett assiste uma fita de vídeo de Tipet, um criminoso convicto que se tornou um líder de um culto. Tipet acredita na Via Negativa, o caminho da escuridão, e usa drogas. Nada na pesquisa do FBI sugere que Tipets estava pronto para matar seus seguidores. Skinner e Doggett informam Kersh que não foram encontradas digitais e que as portas estavam fechadas por dentro. Skinner especula que talvez a consciência de Tipet estivesse lá, mas não seu corpo. Kersch resmunga que não está ouvindo conclusões, e exige que Doggett traga respostas para ele. Numa área abandonada de Pittsburgh naquela noite, Tipet tem um encontro com um mendigo, e então telefona para Andre. Andre ouve Tipet deixar uma mensagem na sua secretária eletrônica. Tipets diz que Andre é o responsável pelas mortes. Andre pega uma faca afiada e a pressiona na sua própria testa.

 

Doggett recebe um relatório do médico-legista - todas as vítimas foram mortas com uma lâmina de machado de uma vez só na testa. As leituras requerem que os seguidores de Tipet incluam uma referência a um machado cerimonial, mas este existe apenas para demonstração num museu da Índia. Scully disse a Skinner que ela está tirando um "tempo pessoal". Em Pittsburgh, o mendigo está dormindo na rua. Ele vê Tipets novamente, com um terceiro olho na testa, e Tipet o mata com um machado cerimonial. Skinner vai até a casa de Doggett para falar com ele sobre a morte similar em Pittsburgh, com Tipet sendo visto fazendo uma ligação num telefone público perto do local. Skinner especula que talvez as drogas que Tipet estava distribuindo finalmente o permitiram atingir um outro plano de realidade. A chamada que ele fez foi rastreada e identificada como feita para Andre Bormanis, um convicto traficante de drogas. Skinner e Doggett vão vê-lo e encontram Andre com marcas de corte na sua testa. O lugar onde ele mora inclui um laboratório científico com ratos enjaulados e Andre diz ser um médico. Andre diz que os alucinógenos foram a rota de Tipet para outras realidades. Ninguém quis experimentar as drogas além de Tipet, porque ele era o único forte o suficiente. Andre espera que o corte na sua testa o proteja. Os agentes levam Andre para mais perguntas, deixando-o numa cela apesar de seus protestos dizendo que ele precisava das drogas em que ele estava trabalhando. Numa seqüência de sonhos, Doggett vê as pegadas de sangue num corredor da prisão e vê Tipet flutuando, com um terceiro olho na sua testa. Doggett percebe que as pegadas são dele mesmo. Skinner o acorda - Doggett estava sentado num banco na entrada, cochilando. Scully está no telefone esperando Doggett. Ela aprecia sua discrição, mesmo que ele ainda não saiba o que está acontecendo. Scully pede a Skinner que entre em contato com alguns amigos de Mulder e ela encoraja Doggett a descansar um pouco, porque ela ouviu que ele estava trabalhando muito no caso, direto sem dormir. Skinner e Doggett percebem que as drogas que Andre estava produzindo eram para mantê-lo acordado. Na cela, Andre acorda. Tipet está lá. Vários ratos entram na cela de Andre. Quando Doggett e Skinner correm até a cela, Andre está no chão, morto.

 

Doggett encontra os Pistoleiros Solitários no escritório dos Arquivos X. Doggett sabia da existência deles porque leu sobre eles nos arquivos. Eles mostram a ele vários slides, descrevendo a imagem do olho vista na casa de Tipet - é um símbolo do leste que representa a abertura da alma. Doggett diz que a localização dos ferimentos nas vítimas de Tipet sugerem que ele abriu seu olho mas estava tentando manter suas vítimas sem abrir os delas. Os Pistoleiros falam sobre os esforços da CIA em criar assassinos psicóticos e especulam que Tipet tenha conseguido fazer isso. Doggett não acredita nisso, mas acha que Tipet acredite, e conclui que Tipet vai precisar de mais drogas para continuar matando. Doggett e Skinner vão até o laboratório de Andre. Tipet está lá, escondido. Tipet pede desculpas por tudo que está acontecendo. Ele bate com sua testa numa serra do laboratório. Eles o levam até o hospital, onde Doggett vê que Scully foi atendida por causa de dores abdominais. Ela está num dos quartos, mas ele não vai falar com ela.

 

Doggett vai falar com Skinner e Kersh sobre as crenças de Tipet. Kersh os elogia pelo excelente trabalho, mas Doggett acha que o caso ainda não foi solucionado. Não há arma do crime nem evidências nem forma de saber como Tipet matou suas vítimas. Kersh está certo de que o caso está encerrado. Doggett deixa uma mensagem na secretária eletrônica de Scully dizendo que eles pegaram o homem mas o caso ainda não faz sentido. Parte dele se pergunta: e se o homem estiver correto? Doggett precisa dormir um pouco. Ele conclui sua mensagem, dizendo que quando Scully ouvir a mensagem, ela deve ligar para ele, se ela se sentir bem para isso. Quando Doggett sobe para seu quarto, vemos que há um homem escondido com um machado o vigiando.

 

Doggett acorda e se veste para ir trabalhar, mas num espelho ele se vê com um terceiro olho na testa. No prédio do FBI, Doggett vai até a sala de Skinner. Doggett está desorientado. Ele não tem certeza de que está acordado. Na última noite ele sonhou que Tipet estava dentro da casa, segurando um machado. Os agentes do FBI assassinados podem ter tido a mesma experiência. Tipet conhece Doggett agora e pode entrar em seus sonhos apesar de estar em coma. Skinner acha que Doggett está apenas cansado e o manda descansar em casa. Fica claro que tudo é uma seqüência de um sonho. Os finais dos corredores mudam de forma e Tipet se aproxima de Doggett. "Ela" vai morrer, diz Tipet, mas é Doggett que vai matá-la. Doggett se encontra no apartamento de Scully, segurando um machado. Ele entra no quarto de Scully, onde ela está dormindo, levanta o machado no ar como se ele fosse atingi-la, então abaixa e se prepara para atingir sua própria testa com o machado... e Scully o acorda. Ela está na casa dele e sua porta estava destrancada. Ela diz a ele que Tipet está morto, e não recuperou sua consciência. Scully está se sentindo bem. As imagens que Doggett viu nos seus sonhos foram terríveis e deram muito medo a ele. Talvez elas não tenham vindo de Tipet, ele especula, mas Scully acha que tudo não passou de mais um pesadelo.