9x10: "PROVENANCE" (PROCEDÊNCIA - PARTE 1)


Ao longo da fronteira dos EUA - Canadá no Condado de Burke, Dakota do Norte, dois patrulheiros estão fazendo vigilância tarde da noite. Eles vêem um homem em uma motocicleta atravessando a fronteira ilegalmente e começam uma perseguição. A motocicleta pula em um vale profundo e explode, deixando o homem queimado e aparentemente morto. Dentro de uma sacola carregada pelo homem estão papéis contendo os símbolos que Scully achou dois anos antes na superfície de uma espaçonave alienígena no oeste da África.

 

Scully é chamada ao escritório de Kersh no FBI e é questionada por ele e outros executivos do FBI. Kersh pede a ela para identificar os símbolos nos papéis. Ele diz a ela que eles estavam no poder de um homem que atravessava a fronteira ilegalmente, mas não lhe dá detalhes. Ela evita responder, e se apressa para a sala dos Arquivos X. Doggett e Reyes não sabiam sobre o caso. Scully pega nos arquivos as cópias que fez da espaçonave dois anos antes. Ela diz que os papéis achados em Dakota do Norte são uma cópia exata e diz a Doggett e Reyes que os caracteres são palavras, e que essas palavras são poderosas. Ela acha que o FBI também tem uma idéia dos seus poderes.

 

Doggett chega em Dakota do Norte e encontra vários agentes do FBI no local onde a motocicleta explodiu. O Diretor Assistente Brad Follmer também está lá. Eles ficam neutros verbalmente mas Follmer admite que o corpo não foi encontrado. Follmer aconselha Doggett a não meter seu nariz nesse caso. Escondido deles, o motociclista está por perto, fora de vista. Ele está coberto com folhas e ferido, mas se arrasta para fora de onde se encontra e tira um artefato de seu bolso. É o pedaço de uma espaçonave alienígena com símbolos escritos. Reyes chama Scully para seu apartamento para conversar. Reyes montou as cópias de Scully em um mosaico. Elas conversam sobre como Scully obteve a tradução e descobriu que as palavras incluíam textos da Bíblia e do Alcorão, assim como informações científicas como a tabela periódica dos elementos. Fosseis do lado de fora daquela nave foram datados de milhões de anos antes. Tanto Scully como Reyes entenderam a implicação de que aquilo poderia não ser somente palavras, mas a palavra de Deus e que toda crença da humanidade pudesse estar em prova. Scully acredita que o texto pode conter respostas sobre seu filho. Scully sente que estava predestinada a encontrar o texto, mas se era isso, porque o FBI estaria escondendo essa informação dela?

 

Doggett dirige-se ao escritório de Skinner no FBI tarde da noite. Skinner não tem retornado suas ligações para Doggett ou Reyes. Skinner diz que isso não é um Arquivo X, mesmo Doggett dizendo que há 40 agentes vasculhando a fronteira atrás de um "homem morto". Mais tarde, Doggett entra furtivamente no escritório de Skinner e encontra o arquivo, inclusive os papéis carregados pelo motociclista. Doggett visita Reyes tarde da noite em seu apartamento, levando o arquivo. O motociclista era Robert Comer, um agente do FBI disfarçado, designado para se infiltrar em um culto de OVNIS. Aparecem cenas de pessoas cavando sob uma grande cobertura - eles estão descobrindo uma nave alienígena enterrada no chão, aparentemente no Canadá. Em Jessup, Maryland, Comer acerta um motorista de caminhão de entregas e rouba o caminhão, se guiando para Georgetown.

 

Scully deixa William aos cuidados de sua mãe. Maggie acha que Scully devia ver William com fé - ele é um milagre que não deveria ser possível. Scully precisa saber se é realmente a Deus que ela deve agradecer por William. Scully chega ao apartamento de Reyes onde Doggett e Reyes vêm estudando o arquivo de Comer mais detalhadamente. O FBI acredita que Comer pode ter trocado sua fidelidade para o culto OVNI. Quando eles cruzaram a fronteira para o Canadá, ele continuou e eles perderam contato com ele. Scully acha que o FBI tem mais segredos do que esse. Reyes determina que as cópias de Comer não combinam com as que Scully fez dois anos antes. Ela conclui que o culto OVNI encontrou outra espaçonave. Maggie chega em casa com William depois de aparentemente levá-lo para uma caminhada ou compras. Comer está esperando por eles dentro do apartamento. Logo depois, Scully chega em casa e encontra a porta do apartamento aberta. Ela entra com sua arma engatilhada e encontra Maggie no chão e Comer no quarto de William. Scully e Comer lutam e Comer a domina, jogando-a para fora do quarto, fechando e trancando a porta. Scully está gritando que irá matá-lo se ele machucar William. Maggie pega a arma de Scully e entrega para ela. Scully atira na porta, ela se abre e atira em Comer, que está segurando um travesseiro e está prestes a sufocar William.

 

Doggett e Reyes chegam ao apartamento de Scully. Scully pede que Reyes leve William e Maggie a um local seguro, então leva Doggett ao seu quarto. Comer está sangrando, mas Scully não vai ajudá-lo enquanto ele não disser porque fiz isso. Ela não vai deixar o FBI cobrir seus rastros. Ela grita perguntas a Comer e ele murmura que seu filho tem que morrer, então desmaia. Doggett chama os paramédicos. Quando está sozinha, Scully procura nos bolsos da jaqueta de Comer e encontra seu artefato da nave alienígena. Uma mulher apanha uma cópia do jornal SUN em Calgary, Alberta, e na capa está a estória do desaparecimento de Comer. Ela entrega o jornal para o homem encarregado da escavação da espaçonave, que diz que isso muda tudo e que agora só há uma coisa a ser feita. Scully e Doggett são chamados para uma reunião com Kersh. Kersh diz que não questiona o fato de Scully ter atirado em Comer para salvar seu filho, mas ele quer saber tudo que Comer possa ter dito. O culto OVNI é liderado por um oficial militar reformado que é perigoso e que possui idéias perigosas sobre alienígenas. Skinner admite que pediu que o caso fosse encaminhado a outra pessoa por causa de ameaças que estavam sendo recebidas - ameaças para com a vida de Mulder. Antes de terem perdido contato com ele, Comer informou que Mulder já estava morto.

 

Reyes deixa William em casa com Scully. Enquanto elas conversam, são interrompidas pelo artefato alienígena, que está girando e fazendo um som rouco na gaveta onde Scully o deixou. Quando ela abre a gaveta, o artefato voa para dentro do quarto de William, onde flutua sobre sua face no berço. Ele encara o artefato, como se tivesse uma conexão com ele. Doggett chega e encontra-se com ele do lado de fora. Ela quer prepará-lo para o que está acontecendo. Scully sai do prédio, carregando William. Ela vai dizer onde estão indo quando estiverem no caminho. Scully e Reyes, com William, entram em um carro. Enquanto Doggett se prepara para seguí-las em seu carro, ele vê que uma pessoa em outro veículo está observando. O carro de Scully sai e Doggett anda em direção para investigar quem os está observando. É a mulher do culto OVNI. Ela ataca Doggett com o veículo, o deixando ferido no chão.

 

Scully e Reyes encontram os Pistoleiros solitários. Scully sente que eles são os únicos em quem ela pode confiar. Scully deixa William com eles para protegê-lo e eles prometem mantê-lo a salvo. Langly dá a Scully seis telefones celulares modificados com os quais ela poderá manter contato com eles, dizendo para usar cada um somente uma vez para evitar serem detectados. As agentes retornam para o apartamento de Scully, encontrando a polícia no local. Skinner está lá e Doggett está sendo colocado em uma ambulância. Scully corre de volta para os Pistoleiros, com medo de que William esteja em maior perigo do que acreditava. Enquanto a van dos Pistoleiros sai do beco onde encontraram Scully, o veículo dirigido pela mulher do culto OVNI bloqueia seu caminho. Ela atira com sua arma na van, acertando uma viga. Ela anda em direção da van e abre a porta lateral para achar Byers segurando William. Ela aponta sua arma para o rosto de Byers.

 

Continua no próximo episódio...